Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > MUNDO

Planeta é achado em zona habitável de sistema estelar duplo

TOI 4633 c desafia os conceitos utilizados para entender a formação de sistemas planetários do universo


				
					Planeta é achado em zona habitável de sistema estelar duplo
Concepção artística do planeta TOI 4633 c em seu sistema estelar duplo. Foto: Ed Bell para Simons Foundation

Astrônomos encontraram um exoplaneta semelhante a Netuno dentro de um sistema que possui duas estrelas como o Sol — que giram em torno de si mesmas –, mas orbitando apenas uma delas. A descoberta desafiou os padrões utilizados para estudar a formação de sistemas planetários e de como continuam estáveis ​​ao longo do tempo.

O TOI 4633 c está localizado na zona habitável de seu sistema — o TOI 4633 –, o que poderia significar que tem água em sua superfície. Entretanto, foi detectado que o exoplaneta tem uma atmosfera grande e densa, excluindo essa possibilidade. Mais investigações desse sistema podem ser importantes para entender as formações que possuem duas estrelas e órbitas incomuns.

Leia também

Semelhante ao nosso Netuno, apesar de menor, o exoplaneta foi descoberto utilizando o Tess (Satélite de Pesquisa de Exoplanetas em Trânsito) e os astrônomos conseguiram definir que sua órbita é de 272 dias — maior que a média dos outros corpos encontrados fora do Sistema Solar.

Mesmo estando em um sistema de duas estrelas, ele orbita apenas uma delas, o que desafia a ideia de que nosso sistema era um formato padrão para outros.

Utilizando outra forma de detecção, os astrônomos descobriram que o TOI 4633 c pode ter um irmão com órbita que dura 34 dias. Diferente do modo de análise de outros exoplanetas, que são identificados quando passam em frente a uma estrela e fazem uma espécie de sombra, esse foi detectado pela alteração da luz do astro, que muda para frente e para trás a medida que a gravidade do corpo em órbita a puxa para os lados.

A junção de uma órbita oval feita pela aproximação incomum das estrelas e o exoplaneta que tem um caminho longo ao redor de apenas uma delas faz com que o TOI 4633 seja um sistema propício para que os cientistas testem ideias sobre as configurações orbitais incomuns e como elas conseguem se manter estáveis ao longo de bilhões de anos.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas