ONU diz que serviços básicos no Afeganistão estão entrando em colapso

Organização faz apelo por ajuda humanitária ao país que enfrenta colapso de serviços básicos e a falta de alimentos e outras ajudas

O Afeganistão enfrenta o colapso de serviços básicos, com falta de alimentos e outras ajudas prestes a acabar, disse o Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) nesta terça-feira (7).

O porta-voz do OCHA, Jens Laerke, disse em um briefing da ONU em Genebra que milhões de afegãos precisam de ajuda alimentar e assistência médica, pedindo aos doadores que contribuam mais antes de uma conferência internacional de ajuda ao Afeganistão em 13 de setembro.

A agência lançou um apelo instantâneo de cerca de US$ 600 milhões para atender às necessidades humanitárias de 11 milhões de pessoas no restante do ano em meio a alertas de seca e fome.

“Os serviços básicos no Afeganistão estão entrando em colapso e os alimentos e outras ajudas que salvam vidas estão prestes a acabar”, disse ele. “Pedimos aos doadores internacionais que apoiem este apelo rápida e generosamente”.

Mais de meio milhão de pessoas foram deslocadas internamente no Afeganistão este ano, enquanto o Talibã varria o país, culminando com a tomada da capital Cabul em 15 de agosto.