Morre cientista paquistanês que tornou o país uma potência nuclear

Abdul Qadeer Khan tinha 85 anos e havia sido internado várias vezes desde agosto por complicações da Covid

Cientista de 85 anos contraiu a Covid-19 em agosto e foi hospitalizado diversas vezes desde então. Ele é considerado herói nacional por ter tornado o país a primeira potência nuclear islâmica.

O cientista nuclear paquistanês Abdul Qadeer Khan morreu neste domingo (10), aos 85 anos, por complicações da Covid. Ele foi diagnosticado com a doença em agosto e chegou a ser hospitalizado várias vezes. Khan é considerado herói nacional por ter tornado o país a primeira potência nuclear islâmica.

O reconhecimento a Khan ocorreul em maio de 1998, quando a República Islâmica do Paquistão entrou oficialmente na lista das potências militares atômicas – mas ele também foi acusado de ter espalhado ilegalmente tecnologia para Irã, Coreia do Norte e Líbia.

O corpo do cientista será enterrado na grande mesquita Faisal de Islamabad, atendendo a um antigo pedido de Khan e contará com a presença de altos funcionários "com todas as honras", informou o ministro do Interior, Sheikh Rashid Ahmad.

Prisão domiciliar

Graças ao cientista nuclear, o Paquistão foi capaz de competir com a Índia no campo nuclear, dispondo de um meio de defesa difícil de competir. O herói, no entanto, foi colocado em prisão domiciliar em 2004 sob a acusação de distribuir a tecnologia ilegalmente durante a década de 1990.

No mesmo ano ele reconheceu a atitude – mas recebeu o perdão do então presidente, o general Pervez Musharraf. Apenas em 2009, no entanto, com uma decisão da Justiça, que o cientista pode, enfim, deixar a prisão domiciliar.