EUA: Trump pede fim da Constituição por suposta fraude nas eleições

Declaração do ex-presidente Donald Trump foi criticada por políticos e rebatida prontamente pela Casa Branca

Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos, pediu a rescisão da Constituição norte-americana, para anular a eleição de 2020, onde saiu derrotado para Joe Biden. Sem apresentar provas, o republicano voltou a dizer que foi vítima de eleições fraudulentas.

“Uma fraude desse tipo e magnitude permite a quebra de todas as regras, regulamentos e artigos, incluindo os da Constituição”, escreveu Trump em sua rede social, a Truth Social, no sábado. A declaração gerou críticas de adversários políticos e ex-aliados.

O ex-presidente também afirmou que o resultado desse pleito deveria ser “jogado fora” e que ele seja declarado o vencedor. Outra alternativa é a realização de novas eleições.

A Casa Branca rebateu os comentários de Trump ainda no sábado. “A Constituição americana é um documento sacrossanto que garante há 200 anos que a liberdade e o estado de direito prevalecerão em nosso belo país”, disse Andrew Bates, o porta-voz do Executivo.

Elon Musk

A declaração ocorre após Elon Musk, novo dono do Twitter, compartilhar informações de que a rede social teria suprimido a divulgação de notícia negativa do New York Post sobre Hunter Biden, filho de Joe Biden, às vésperas da eleição.

Nesta segunda-feira (5/11), Donald Trump voltou à rede Truth Social e, em novas postagens, afirmou ser falso que queira acabar com a Constituição. O ex-presidente, porém, reforçou a alegação de que perdeu as eleições por fraude.

Volta ao Twitter

Em novembro de 2022, após Elon Musk comprar o Twitter por US$ 44 bilhões (cerca de R$ 235 bilhões), a conta de Donald Trump foi reativada. O perfil do empresário estava suspenso desde janeiro de 2021 por incitar ataques ao Congresso norte-americano.