Dois prisioneiros de Guantánamo são enviados a Bósnia e Montenegro

Doa 91 presos que restam, 34 têm transferências já aprovadas. Fechamento de prisão é promessa de campanha de Obama

O Pentágono anunciou nesta quinta-feira (21) a transferência de outros dois presos da base americana de Guantánamo (Cuba), reduzindo a 91 o total de reclusos na controversa prisão.
Tariq Mahmoud Ahmed Al Sawah foi enviado à Bósnia, enquanto Abd al-Aziz Abduh Abdallah Ali Al-Suwaydi viajou para Montenegro.
Segundo arquivos que vazaram, Sawah tem dupla cidadania egípcia e bósnia, enquanto Al-Suwaydi é originário do Iêmen.
As transferências marcam outra etapa da administração do presidente Barack Obama em sua luta para fechar a prisão. Setecentos e oitenta prisioneiros passaram por ela desde a sua abertura, em janeiro de 2002.
Em seu último discurso sobre o estado da União, antes de deixar a Casa Branca em 2017, Obama retomou a antiga promessa de campanha de fechar o centro de detenções, o que até agora não pôde cumprir, apesar de seus repetidos pedidos ao Congresso para se somar ao esforço.
Dos 91 detidos que estão em Guantánamo, 34 têm a aprovação para ser transferidos, os demais enfrentam uma detenção indefinida, sem ter sido submetidos a julgamentos.