Com a proximidade do dia de Santo Antônio, vendedores de milho comemoram movimento

Apesar da pandemia, vendas estão sendo satisfatórias em Maceió

Os vendedores de milho da Praça da Faculdade, em Maceió, comemoraram, nesta sexta-feira (11), a procura pelo produto. Com preços da mão que variam entre R$ 20 e R$ 50, eles disseram que os clientes não estão deixando de comprar esse item tão tradicional nessa época do ano, apesar da pandemia e das proibições de realizações de festas e eventos.

Os preços variam a depender da qualidade do milho. Os de primeira linha, estão custando, a mão, entre R$ 45 e R$ 50. Já os de pior qualidade estão saindo a valores que variam entre R$ 20 e R$ 25. São opções para todos os bolsos e a ideia é que ninguém fique sem comer milho nesta data tão tradicional.

"Mesmo com a pandemia, o movimento tá até razoavelmente bom, porque é a tradição desse mês né? Eu diria que em junho do ano passado tava melhor, mas, com certeza, ainda esse mês vamos vender bem mais porque é mais perto do São João, a partir do dia 20, que vendemos bem mais", afirmou a vendedora Joseane Silva, de 38 anos, que vende o produto há oito.

O também vendedor Carlos Vinicius, de 20 anos, também era só comemoração. "As vendas tão indo muito bem. Desde 6 horas da manhã que a gente vende milho aqui. Estamos vendendo desde a semana passada. Graças a Deus esse ano tá prosperando. É um caminhão de milho por dia. De 6 horas da manhã até 5 da tarde o milho voa, não sobra nada", afirma.

A expectativa é a de que no final do mês, mais perto do dia de São João, o movimento melhore ainda mais.