Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > MACEIÓ

Taxistas fazem ato contra Uber e cobram fim do taxímetro e liberação da lotação

Grupo se concentrou, mais uma vez, no Estacionamento de Jaraguá

Mais uma vez, dezenas de taxistas fizeram um ato, na manhã desta quarta-feira (8), contra a falta de fiscalização aos veículos da Uber em Maceió. O grupo se concentrou no Estacionamento de Jaraguá e cobrou mais rigor da prefeitura para observar como está funcionando o sistema do aplicativo na capital.

No manifesto desta manhã, os taxistas reivindicam que o município libere o táxi-lotação, acabe com o taxímetro e o uso do celular para o trabalho (como o Uber). Outra opção, segundo a categoria, é a regulamentação destas plataformas e a retirada de todos os impostos para se trabalhar como taxista em Maceió.

Leia também

Arnaldo Santos lembra que os taxistas pagam muitos impostos para exercer a função. "Pagamos impostos caros, enquanto os Ubers não pagam nada. Além disso, eles não têm identificação e não pagam nada e estamos a aqui não tendo nem como juntar o dinheiro para pagar os impostos", relata.


				
					Taxistas fazem ato contra Uber e cobram fim do taxímetro e liberação da lotação
FOTO: ruana padilha

Já o motorista Agnes Dinares afirma que a categoria está sendo abandonada pelo poder público. "As coisas aqui em Maceió só se resolvem com protesto. Nos outros estados, quando se iniciou o Uber, o poder público atuava em favor dos taxistas, regularizados, mas aqui não. Eles fecharam os olhos para nós. Estamos sendo abandonados, pagamos impostos e o sindicato, SMTT e o poder público não estão nem aí quanto à atuação dos Ubers", reclama.

Gaspar Silva, do movimento dos taxistas, diz que tomou conhecimento da ausência de notificação da prefeitura a respeito da decisão, em caráter liminar, do Poder Judiciário, impedindo a fiscalização dos motoristas da Uber na capital.

Segundo ele, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) ainda não teria sido comunicada oficialmente desta determinação e, portanto, deveria continuar as inspeções a estes condutores.

Em nota, a SMTT informou já preparar um projeto de lei para regulamentar a atividade dos motoristas que utilizam o aplicativo em Maceió, destacando o fato de não poder fiscalizar o Uber, por força de decisão judicial. Confira, abaixo, a íntegra da nota:

A respeito do protesto dos taxistas contra o serviço do aplicativo Uber em Maceió, ocorrido na manhã desta quarta-feira (08), a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito afirma o compromisso em oferecer um serviço de melhor qualidade à classe, já preparando um projeto de lei que regulamenta a atividade do aplicativo. Por decisão judicial proferida em dezembro do ano passado, o serviço do Uber não pode ser fiscalizado pela SMTT/Maceió.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas