Nova suspeita de bomba em agência bancária foi mais um alarme falso

Banco foi isolado e Polícias Civil e Militar mobilizadas para averiguar pote suspeito; objeto deixado no local estava vazio

A suspeita de que mais um artefato teria sido deixado em uma agência bancária do Santander, situada no Centro de Maceió, foi afastada após a chegada das polícias Civil e Militar, que averiguaram as imagens de câmeras de segurança do banco e verificaram que o objeto havia sido deixado por uma pessoa em situação de rua, que manuseava o item com muita tranquilidade.

Após adotar todas as medidas de segurança, esvaziar e isolar a agência, que fica situada na Rua do Sol, o objeto suspeito - uma lata de suplementos - foi aberta e constatou-se que ela estava vazia.

O chefe de operações do 1º Distrito Policial da capital, Alan Valber, que esteve no local, afirmou ser natural que a população esteja assustada, após as duas explosões que ocorreram recentemente. Depois desses fatos, qualquer item esquecido na rua acaba virando um objeto suspeito.

"Com as imagens que acabamos de ver, de fato, trata-se de um objeto que foi descartado por uma pessoa em situação de rua, que manuseava o objeto com muita tranquilidade. Então, diante disso, ficou definido que não se trata de um objeto explosivo", afirmou o chefe de operações do 1º Distrito Policial da capital, Alan Valber.

Desde o último dia 10, esta foi a quinta vez que o esquadrão antibomba do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) foi acionado para situação semelhante. Em duas delas, tratava-se de bombas de verdade, que chegaram a explodir e ferir pessoas, fazendo com que duas delas precisassem amputar uma das mãos. Segundo ele, as investigações relacionadas aos dois casos em que ocorreram explosões continuam.

Os outros três casos ocorreram em um depósito da Sefaz, situado no bairro do Farol, onde foi deixado um simulacro de bomba; na agência do Banco do Brasil da Avenida Tomás Espíndola, também no Farol, e agora na agência do Santander, no Centro.