Mais de 6,2 mil mamografias foram realizadas em Maceió de janeiro a julho de 2021

Em 2020, segundo o instituto, foram realizadas no país 2.572.236 mamografias no SUS, sendo 300.447 mamografias diagnósticas

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que no ano passado foram realizadas em Alagoas 33,1 mil mamografias (32,1 mil de rastreamento e 927 diagnósticas) pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Esse tipo de exame ajuda a detectar o câncer de mama ainda na fase inicial da doença. Em Maceió, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ocorreram 6.243 de janeiro a julho de 2021.

Ainda segundo a SMS, em todo ano de 2020 foram 11,4 mil exames de rastreamento na capital e 15,9 mil em 2019. Os procedimentos foram realizados na rede pública e nos prestadores de serviço contratualizados pela Prefeitura de Maceió.

O INCA detalha que a produção de mamografia no SUS engloba a de rastreamento, indicada para as mulheres de 50 a 69 anos sem sinais e sintomas de câncer de mama (a cada dois anos) e a diagnóstica (indicada para avaliar lesões mamárias suspeitas em qualquer idade, também em homens).

No Brasil, em 2020, segundo o instituto, foram realizadas 2.572.236 mamografias no SUS, sendo 300.447 mamografias diagnósticas, 536,2 mil ocorreram no Nordeste. Em relação as mamografias de rastreamento, foram 2.271.789. Houve queda de 41% no ano de 2020, em consequência da pandemia da Covid-19, de acordo com dados do INCA.

A importância da realização da mamografia é ainda mais reforçada este mês, quando é celebrado o Outubro Rosa, movimento internacional de conscientização para a detecção do câncer de mama, que é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo e, no Brasil, foram estimados 66.280 casos novos em 2021, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres.