Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > MACEIÓ

Fiscalização flagra ocupação irregular de área verde na Gruta

Muros construídos indevidamente foi demolidos e estacas e arames farpados foram retirados do local

Uma operação da Secretaria de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet) foi realizada nesta sexta-feira (09) no bairro da Gruta, com o objetivo de retirar uma ocupação irregular de uma área verde localizada na Rua Cristiano Maia de Omena Calheiros, no Loteamento Parque do Farol.

Com o apoio da Superintendência de Limpeza Urbana (Slum) e da Secretaria de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs), os fiscais da Sedet demoliram muros construídos indevidamente, retiraram estacas e arames farpados, que cercavam os lotes feitos pelos próprios moradores das casas que dão os fundos para o terreno.

Leia também

Segundo moradores da vizinhança, a ocupação teria começado no mês de janeiro, quando também foram arrancadas árvores e a vegetação da área. "Nós começamos a perceber essa movimentação e achamos estranho, pois sempre soubemos que essa área não é particular", disse uma mulher que não quis se identificar.

Dona Conceição Cavalcante, moradora da comunidade há mais de 50 anos, estava revoltada com o crime ambiental. "Que bom que vocês vieram, meu pai plantou muitas dessas árvores que estão aqui e isso deixa a gente indignada. Como fazem isso sabendo que as árvores são para o nosso bem?", questiona a moradora, insatisfeita com a invasão.

Ao chegar no local, os fiscais encontraram mesas, como se fosse uma área de lazer privada e havia material de construção. O local funcionava como garagem, com carros estacionados, e alguns proprietários abriram passagem nos fundos da casa para ter acesso à área. "O local público foi privatizado é isso é ilegal", explicou o coordenador de Fiscalização da Sedet, José Soares. Segundo Soares, a área verde é o "pulmão da cidade" e precisa ser preservada.

Uma outra moradora que também não quis se identificar disse que um advogado orientou os moradores a requerer usucapião da área, em troca de 30% de honorários, após o sucesso na causa. "Um lote desse deve valer uns R$ 200 mil", disse ela.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas