Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > MACEIÓ

Em enterro, parentes exigem punição rigorosa para militar que matou a mulher

Garota que presenciou crime disse que a mãe estava no limite e sem liberdade

Sob clima de revolta dos familiares, o corpo da dona de casa Expedita da Silva, de 37 anos, foi enterrado, na manhã desta quinta-feira (25), no cemitério Campo Santo Parque das Flores, em Maceió. A filha da vítima, de 13 anos, disse que a mãe estava privada de liberdade e não aguentava mais a pressão que sofria do marido, o cabo PM Ivan Augusto, apontado como autor do assassinato de Expedita.

Os parentes exigem punição ao militar, que teve pedido de prisão preventiva feito à Justiça pelo delegado que cuidava do caso até então, Robervaldo Davino.

Leia também

"Minha mãe estava no limite dela. Não tinha liberdade alguma", afirmou a adolescente Laura Vitória, filha do casal e testemunha do crime. A garota já foi ouvida pela Polícia Civil e narrou detalhes do convívio dos pais, que seria bastante conturbado.


				
					Em enterro, parentes exigem punição rigorosa para militar que matou a mulher
FOTO: José Ronaldo

"A família exige punição. A família quer que pague pelo crime. Minha irmã não merecia ter morrido desta forma. Ela sempre foi fiel e respeitosa para com seu esposo", disse João Celso Neto.

E completou o pensamento: "Ela [a irmã] era uma pessoa íntegra, mas o esposo desconfiava de tudo e de todos", reforçou o irmão.


				
					Em enterro, parentes exigem punição rigorosa para militar que matou a mulher
FOTO: José Ronaldo

ENTENDA O CASO

O cabo se apresentou no Quartel Geral da Polícia Militar, na segunda (22), três dias após o crime. Expedita da Silva chegou a ser socorrida para o Hospital Geral do Estado, onde passou por procedimento cirúrgico, mas morreu na terça-feira.

Na sexta (19), após um desentendimento, o policial, segundo testemunhas, efetuou sete disparos de arma de fogo contra a mulher, fugindo em um veículo Ônix de cor preta. Ela foi atingida nos braços, pernas e costas.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas