Covid: Maceió segue vacinando pessoas de 12 anos ou mais e aplicando dose de reforço

Profissionais de saúde com seis meses completados desde a aplicação da segunda dose também podem receber a terceira dose

Maceió segue vacinando pessoas de 12 anos ou mais contra a Covid-19 e aplicando a dose de reforço para idosos com mais de 60 anos. Profissionais de saúde com seis meses completados desde a aplicação da segunda dose, além de imunossuprimidos com pelo menos 28 dias da segunda dose, também podem receber a terceira dose do imunizante.

Aos adolescentes entre 12 e 17 anos a Prefeitura administra exclusivamente a vacina da Pfizer, único imunizante autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para este público menor de 18 anos.

O intervalo entre a primeira e a segunda doses observa os prazos de 28 dias para a segunda dose da Coronavac, oito semanas (56 dias) entre a primeira e a segunda doses da Pfizer e antecipação de dez dias da Astrazeneca, ou seja, 74 dias entre a primeira e a segunda doses, considerando o prazo inicialmente estabelecido de 84 dias e a redução de até dez dias em Maceió.

O funcionamento dos pontos de vacinação mantém o Corujão da Vacina de terça-feira a sábado, quando quatro pontos (shoppings Maceió e Pátio e drive-thrus de Jaraguá e Serraria) têm horário estendido, das 9h às 21h. Os outros quatro pontos – Papódromo, Ginásio Arivaldo Maia, Terminal do Osman Loureiro e Praça Padre Cícero – funcionam das 9h às 16h todos os dias. Aos domingos e às segundas-feiras, todos os pontos funcionam das 9h às 16h. Os horários são mantidos conforme o dia da semana, inclusive aos feriados

“Tendo vacina, Maceió mantém o Corujão toda semana de terça a sábado para agilizar a imunização da população. A Prefeitura trabalha pela promoção da saúde dos maceioenses e pela manutenção dos negócios. Ninguém deseja a economia parada e as pessoas trancadas dentro de casa. Então, para que as pessoas possam circular e trabalhar com segurança é necessário que todos estejam atentos ao calendário de vacinação. Chegou sua vez? Vá se vacinar. Completou o período de tomar a segunda dose? Dirija-se ao ponto de vacinação. Está no público elegível para a dose de reforço? Tome sua vacina. Estamos voltando ao normal graças ao avanço da vacinação”, lembra o coordenador geral do Gabinete de Gestão Integrada de Enfrentamento à Covid-19, Claydson Moura.

Agendamento

Os agendamentos para a segunda dose nas unidades de referência da vacinação contra a Covid-19 para a próxima semana serão abertos para o período de 13 a 15 de outubro para a D2 da vacina Astrazeneca. Não haverá agendamento para terça-feira (12). As unidades de saúde não funcionam no feriado.

Documentos necessários

Para se vacinar com a primeira dose, é necessário apresentar certidão de nascimento ou documento de identificação com foto, CPF e comprovante de residência (original e cópia).

Para a segunda dose, basta apresentar o documento de identificação com foto e o cartão de vacinação. Quem perdeu o cartão pode solicitar a segunda via no posto onde tomou a primeira dose.

Pessoas com deficiência visual que, ao tomar a primeira dose, tenham recebido o cartão convencional, podem solicitar a substituição pelo cartão em braile no ponto onde forem tomar a segunda.

Documentos para quem vai tomar dose de reforço

Para se vacinar com a dose de reforço, pessoas idosas e trabalhadores da Saúde devem apresentar documento de identificação com foto, comprovante de residência (não precisa cópia) e o cartão de vacinação com as informações da etapa anterior.

Profissionais de saúde precisam comprovar, além de documento com foto, CPF e o cartão de vacina, documento comprobatório da condição de Trabalhador da Saúde. Vale ressaltar ainda que, para esse grupo, é fundamental levar uma cópia do comprovante de residência e do comprovante de vínculo profissional, pois uma via do documento será retida pelas equipes.

Pessoas imunocomprometidas devem apresentar, além do documento de identificação e do comprovante de residência, um dos citados abaixo:

– Prescrição médica com justificativa;

– Exames específicos que estabeleçam o diagnóstico;

– Relatório médico;

– Receitas para terapêutica específica de condições descritas;

– Guia de Encaminhamento específico.

Imunossuprimidos que devem tomar a terceira dose

I – Imunodeficiência primária grave.

II – Quimioterapia para câncer.

III – Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras.

IV – Pessoas vivendo com HIV/AIDS.

V – Uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias.

VI – Uso de drogas modificadoras da resposta imune (vide tabela 1).

VII – Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias.

VIII – Pacientes em hemodiálise.

IX – Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

Drogas modificadoras da resposta imune e doses consideradas imunossupressoras

  • Metotrexato
  • Leflunomida
  • Micofenolato de mofetila
  • Azatiprina
  • Ciclofosfamida
  • Ciclosporina
  • Tacrolimus
  • Mercaptopurina
  • Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe)
  • Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe)