Colégio de Maceió é acusado de não dar apoio às vítimas de assédio sexual

Por meio de nota, unidade de ensino informou que repudia qualquer prática de abuso ou bullying

Um grupo de meninas denunciou, nas redes sociais, o colégio SEB COC de Maceió por negligenciar apoio as vítimas de bullying e assédio sexual. O texto, que circula nas redes sociais, conta que os casos já acontecem há três anos. Por meio de nota, direção da unidade alegou que repudia qualquer ato de bullying e assédio sexual contra qualquer aluno ou colaborador. Além disso, ressaltou que palestras e projetos já são desenvolvidos dentro da unidade de ensino como forma de prevenção de conscientização. 
A situação foi divulgada nesta sexta-feira (5), quando um grupo de alunas realizou um ato pedindo que a escola tomasse providências. Elas sentaram no chão de um dos corredores, ecoando gritos de "ei, coordenação, nós não vamos embora não". Uma série de papéis com mensagens como "não vamos nos calar" foram colados nas paredes. 
De acordo com a denúncia, os meninos da instituição saiam impunes após acariciar  sem o consentimento as meninas. "Uma quantidade absurda de meninas caladas por medo, vergonha e outros motivos. As que batiam no peito pra delatar o ocorrido eram desacreditadas", informou a denúncia. 
A mensagem ainda frisa que as alunas seguiam até a coordenação do colégio para relatar a prática do assédio. No entanto, eram questionadas se estavam participando da "brincadeira", pois não tinham se pronunciado sobre os casos antes. "Assédio sexual não é BRINCADEIRA. Assédio sexual É CRIME e todas nós queremos justiça", destacou as estudantes.

Denúncia informa que os casos de bullying e assédio sexual já acontecem há três anos - Foto: FOTO: Reprodução

A unidade destacou que tem reforçado o trabalho, com a presença e a orientação de uma psicóloga junto às turmas. 
Confira, abaixo, o comunicado da instituição na íntegra: 
A Escola SEB Maceió vem a público esclarecer que repudia qualquer ato de bullying e assédio contra quaisquer um de seus alunos ou colaboradores.
Somos atentos a todas as necessidades de pais e alunos no âmbito pedagógico e prontamente nos reunimos com as partes para ouvi-las e tomar as devidas providências, culminando na suspensão dos alunos envolvidos.
Gostaríamos de salientar que um trabalho de prevenção e conscientização sobre essa prática já é presente na escola com projetos e palestras desenvolvidos ao longo do ano e que, durante toda a próxima semana, contaremos com a presença e a orientação de uma psicóloga junto às turmas. Reforçamos o trabalho que a escola desempenha junto aos seus alunos no combate a práticas abusivas com uma formação humana, ética e responsável, priorizando acima de tudo o bem-estar dos alunos e suas famílias.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p