BRK diz não ter autonomia para conceder reajuste e que aumento na tarifa da água foi dado pelo governo de Alagoas

A partir do dia 1º de outubro, os consumidos da capital alagoana e Região Metropolitana vão pagar a conta de água com aumento de 8,08%

Após ser notificada pelo Procon Maceió devido ao anúncio de reajuste da tarifa de água, a BRK Ambiental reafirmou, por meio de nota, que o novo reajuste foi aprovado pela Agência de Regulação de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal), órgão do governo de Alagoas. O aumento de 8,08% na conta de água começa a valer a partir do dia 1º de outubro na capital alagoana e Região Metropolitana.

"A BRK Ambiental esclarece que não tem autonomia para definir os reajustes tarifários e o novo valor foi aprovado pela Agência de Regulação de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal) para cobrir o índice de inflação dos últimos 12 meses", diz trecho da nota.

O Procon Maceió também está analisando a possibilidade de o Município entrar com uma Ação Civil Pública em desfavor da BRK Ambiental, com o argumento de que o aumento é prejudicial aos consumidores, levando em consideração, principalmente, a pandemia de Covid-19.

O reajuste tarifário também foi criticado pelo prefeito de Maceió, JHC, que questionou o governador Renan Filho sobre o aumento de 8,08%. "É muito descaso com a população de Maceió, em especial com os mais pobres que lutam para pagar as contas. Reconsidere essa decisão", escreveu JHC no Twitter.

Além disso, em Brasília, o prefeito de Maceió JHC (PSB) e integrantes da bancada federal solicitaram que a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) apure e adote medidas para barrar o reajuste concedido pelo governo de Alagoas. Como resultado da reunião, que aconteceu nessa quarta (1º), a ANA deverá investigar o aumento.

"O aumento da conta de água em um momento tão delicado é uma falta de sensibilidade com quem mais precisa. É um completo absurdo! Quando assumi a prefeitura, não haviam sequer informações e nem planejamento sobre como a BRK iria atuar. O governo de Alagoas usurpou a titularidade sobre o saneamento dos município", criticou o prefeito de Maceió.

Confira a nota da BRK Ambiental na íntegra:

A BRK Ambiental esclarece que não tem autonomia para definir os reajustes tarifários e o novo valor foi aprovado pela Agência de Regulação de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal) para cobrir o índice de inflação dos últimos 12 meses, a contar a partir da proposta comercial vencedora do leilão para a Concessão dos Serviços de Água e Esgoto da Região Metropolitana de Maceió, na forma do contrato de concessão.

A BRK Ambiental informa ainda que recepcionou o ofício do Procon e prestará os esclarecimentos no prazo solicitado.

BRK Ambiental

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p