Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
X
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

Apenas 7,76% de 188.313 crianças foram vacinadas contra Poliomielite

Balanço aponta que 14.617 de menores na faixa etária de 1 ano a menores de de 5 anos foram vacinados


				
					Apenas 7,76% de 188.313 crianças foram vacinadas contra Poliomielite
Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite 2024 foi encerrada na sexta-feira (14), em Alagoas. Foto: Carla Cleto / Ascom Sesau

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite 2024 foi encerrada na sexta-feira (14) e, após 21 dias de execução, Alagoas alcançou a marca de 14.617 crianças vacinadas na faixa etária de 1 ano a menores de 5 anos, o que corresponde a 7,76% das 188.313 que integravam o público-alvo.

Com isso, a partir de agora, os pequenos que não foram imunizados seguirão o esquema do Calendário Nacional de Vacinação, conforme determinação do Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde (MS).

Leia também

O esquema do Calendário Nacional de Vacinação contra a Poliomielite compreende a aplicação de três doses do imunizante VIP Injetável aos 2, 4 e 6 meses de vida.

Posteriormente, os pais devem se dirigir aos postos de vacinação municipais, munidos da Caderneta de Vacinação, para que sejam aplicados dois reforços, que devem ser ministrados às crianças com 15 meses de vida e 4 anos de idade, sendo utilizado desta vez o imunizante VOP Oral.

Conforme a assessora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) em Alagoas, enfermeira Rafaela Siqueira, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite 2024 teve o intuito de conter o risco de reintrodução do poliovírus no Brasil.

Isso porque em 2023 a Comissão Regional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite na Região das Américas (RCC) classificou o Brasil como País com alto risco para a reintrodução do poliovírus selvagem.

“Como sabemos, a poliomielite é uma doença contagiosa causada pelo poliovírus selvagem e que pode infectar adultos e crianças, sendo as vacinas VIP Injetável e VOP Oral as formas eficazes de prevenção. Alertamos os pais alagoanos para que fiquem atentos à Caderneta e Vacinação de seus filhos, porque a poliomielite é uma doença grave, que pode levar à morte e causar paralisia de uma das pernas, pé torto, dores nas articulações e atingir também outros músculos que podem prejudicar a fala e a deglutição”, frisou Rafaela Siqueira.

Histórico

O último caso de poliomielite diagnosticado no Brasil ocorreu em 1989, no município de Souza, na Paraíba (PB). Com isso, desde 1990, portanto há 34 anos, não são registrados casos da doença em território brasileiro. Em 1994, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), a Certificação de área livre de circulação da Poliomielite, assim como os demais países das Américas.

*Com assessoria

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas

X