Alunos das áreas de saúde de instituição particular da capital cobram formatura antecipada

Eles alegam que universidade tem se recusado a conceder antecipação de colação de grau

Alunos dos cursos de Medicina, Enfermagem e Fisioterapia do Centro Universitário Tiradentes de Alagoas (UNIT/AL) estão cobrando da instituição a antecipação da colação de grau de estudantes que cumpriram 75% da carga horária acadêmica, como prevê a Portaria nº 383 do Ministério da Educação (MEC), publicada em 9 de Abril de 2020, que busca contribuir no combate à Covid-19, disponibilizando novos profissionais que já estejam aptos para atuar.

Segundo os acadêmicos, a instituição tem se recusado a conceder a antecipação na colação de grau e segue irredutível em negociar com os estudantes. Eles afirmam que há, pelo menos, 39 alunos do curso de Medicina que se enquadram nos requisitos pré-estabelecidos pelo MEC para antecipação de formatura, mas que, devido à recusa da instituição, têm sido impedidos de atuar na linha de frente do combate à Covid-19.

Para a estudante Nacélia Andrade, a liberação da colação de grau destes alunos fará com que os futuros profissionais cumpram um papel social em meio à pandemia.

"A UNIT precisa formar, porque há uma situação emergencial de saúde pública, onde há a necessidade de médicos se fazerem presentes diante de uma realidade em que os profissionais de saúde estão fadigados, por fazer o máximo possível há mais de um ano contra a Covid. Queremos cumprir o nosso papel social como médicos e ajudar no que for preciso! É nosso direito e dever da Unit fazer com que isso aconteça", disse a universitária.

Os alunos afirmam, também, que a instituição tem se recusado a atualizar o histórico acadêmico dos estudantes há mais de 1 ano, o que impossibilita que se comprove que eles já cumpriram 75% da carga horária.

"Eu tenho comunicações de e-mail e ouvidoria, datando de 14 de dezembro de 2020, solicitando a atualização do histórico acadêmico e nunca sou respondida. É frustrante tentar dialogar com a instituição", disse Camila Honorato, estudante de Medicina.

Em nota à Gazetaweb, a instituição informou que já entrou em contato com todos os alunos. "A Pró-reitoria de Graduação está à disposição dos alunos para maiores esclarecimentos. Toda comunicação oficial já foi feita diretamente ao aluno".