Moradores dos Flexais ocupam prédio da Prefeitura de Maceió no Jaraguá

Grupo cobra atuação da gestão municipal na situação de ilhamento no qual mais de 3.500 pessoas vivem

Cerca de 60 moradores dos Flexais de Cima e de Baixo, no bairro de Bebedouro, ocuparam, na manhã desta terça-feira (27), o prédio da Prefeitura Municipal de Maceió, no bairro do Jaraguá.

A mobilização faz parte de uma estratégia dos moradores, que visam pressionar a gestão municipal quanto à atenção imediata para a situação dos locais. Segundo eles, morar nesses locais está insuportável e o diálogo está prejudicado em decorrência da falta de ação da prefeitura.

"Não queremos mais promessas, queremos um compromisso com a nossa causa. Nossas residências precisam ser realocadas, não dá mais pra engolir essa conversa de que o bairro será revitalizado, não tem como revitalizar um local que está isolado, com bairros abandonados para todo lado", afirma Joselma Evaristo Valério.

Protesto de moradores dos Flexais - Foto: Reprodução

O grupo busca respostas do Município para o ilhamento social das localidades e da desocupação dos bairros do entorno, decorrente do afundamento do solo causado pela Braskem.

Joselma Evaristo tem 56 anos e mora no Bebedouro há 30. Ela diz que perdeu a saúde, física e mental, por causa do isolamento e da falta de segurança.

"Sairemos daqui quando o prefeito JHC nos der uma resposta e nos der a sua palavra, se é que ele tem, de que vai resolver o nosso problema", afirma.

Protesto de moradores dos Flexais - Foto: Reprodução

A moradora diz que o grupo representa as 3.500 pessoas que ainda moram na localidade.

"E nossas casas estão afundando também, cheias de rachaduras, tudo por causa da Braskem. Se o prefeito não está sendo beneficiado de alguma forma com essa situação, por que ele não fala nada, não faz nada? Por que ele não nos recebe e diz que vai fazer alguma coisa por nós? Chegar lá pra pedir voto é muito bom. Ele foi lá, disse que ia nos ajudar, quando ele foi candidato a primeira vez, por que agora não resolve o problema?", argumenta a moradora.

Representantes dos moradores foram recebidos no local por uma liderança municipal, mas não pelo prefeito JHC.

Por meio de nota, a Prefeitura de Maceió disse que o Gabinete de Gestão Integrada para a Adoção de Medidas de Enfrentamento aos Impactos do Afundamento dos Bairros (GGI dos Bairros) mantém diversas frentes de diálogo com os moradores dos bairros afetados pelo afundamento do solo e com as comunidades do entorno do Mapa de Linhas e Ações Prioritárias 04.

Também firsou que, além das rodadas de conversas e reuniões, foi aberta uma ouvidoria para receber e atender toda e qualquer demanda desta população, disponível no site do órgão.

"A Defesa Civil tem monitorado as áreas adjacentes do mapa periodicamente junto ao Comitê Técnico criado para este fim e conta também com equipamentos de última geração", diz trecho da nota.