MPAL requer prisão preventiva dos homens que sequestraram empresário em Maceió

Carlos Valerio Gonçalves do Amaral, de 58 anos, e Igor Ferreira Coimbra, de 32, são do Rio de Janeiro

A promotora de Justiça Silvana de Almeida Abreu requereu, nesta segunda-feira (25), a homologação do auto de prisão em flagrante e a conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva de Carlos Valerio Gonçalves do Amaral, de 58 anos, e de Igor Ferreira Coimbra, de 32. 
Sogro e genro foram presos no domingo (25), após sequestrarem um empresário.
De acordo com o parecer da promotora, Carlos, que é subtenente do Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro, e Igor, que é Guarda Municipal da cidade do Rio de Janeiro, representam risco à garantia da ordem pública se forem soltos. Ela pondera ainda que a profissão exercida pelos dois torna o fato ainda mais grave. 
Segundo consta no parecer da promotora, a vítima narra que saía de sua residência com a namorada quando, na esquina, teve o carro trancado por outro veículo, de onde desceu um homem encapuzado que se identificou como policial e disse que ele estava sendo preso por estelionato e pirâmide financeira. A vítima disse que o carro onde foi colocado era conduzido por um senhor e que lhe foi exibido um mandado de prisão.
A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) informou à Gazetaweb que o juiz Carlos Henrique Pita Duarte está analisando o parecer da promotora para decidir pela prisão preventiva ou liberdade dos presos.