Justiça nega habeas corpus a acusado de matar o modelo Erick Ferraz

Judarley Leite de Oliveira encontra-se preso desde 21 de agosto de 2012, acusado do assassinato durante festa de virada de ano em Viçosa

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) negou, por unanimidade, o pedido de liberdade do réu Judarley Leite de Oliveira, acusado de matar, com três tiros, o modelo Erick Ferraz, durante as comemorações da virada do ano de 2011 para 2012, no município de Viçosa, Zona da Mata de Alagoas. A decisão, dessa quarta-feira (08), teve relatoria do desembargador João Luiz Azevedo Lessa.
Testemunhas relataram que o irmão de Judarley, Jaysley Oliveira, teria paquerado a namorada de Erick, dando início a um desentendimento. Judarley também estava no local e foi apontado pelas testemunhas como o autor dos disparos. Ele confessou ter atirado na vítima e está preso pelo crime desde 21 de agosto de 2012.
O policial civil Jaysley foi localizado e preso na casa de parentes, em Garanhuns (PE), mas ganhou liberdade pouco mais de um mês depois, graças à decisão monocrática do desembargador Orlando Manso. À época, Judarley assumiu, inclusive, ser o dono da arma utilizada no criime, uma pistola 380, inocentando o irmão.

Judarley Leite confessou o crime e segue preso - Foto: FOTO: Arquivo Gazetaweb

Além disso, João Luiz ressaltou que o pedido de desaforamento solicitado pelo réu, durante o andamento do processo, deverá ser analisado na próxima sessão de julgamento da Câmara Criminal, que será realizada na próxima quarta-feira (15).
A defesa impetrou habeas corpus no TJ/AL alegando existir ilegalidade na prisão por excesso de prazo, uma vez que Judarley encontra-se preso há quase quatro anos. Sustentou, ainda, que ele é primário, sem antecedentes e possui residência fixa, além de ser pai de duas crianças "carentes de seu afeto".