Justiça leva a júri acusado de matar ex-companheira no Tabuleiro

Caso ocorreu no dia 10 de março de 2017, no bairro do Tabuleiro do Martins

Um homem acusado de matar a ex-companheira será levado a júri popular nesta quarta-feira (20). José Luciano da Silva teria efetuado três tiros contra Maria Inês da Silva Santos, além de atentar contra a vida da filha da vítima, Linda Inês da Silva Santos, em 2017. O julgamento será conduzido pelo juiz Geraldo Cavalcante Amorim, da 9ª Vara Criminal da Capital.

O caso ocorreu no dia 10 de março de 2017, no bairro do Tabuleiro do Martins. Segundo o inquérito policial, a vítima estaria sendo ameaçada pelo réu porque ele não aceitava o término do relacionamento. A acusação diz também que a mulher era agredida constantemente pelo acusado enquanto estavam juntos.

A denúncia diz que no dia do crime, as vítimas estavam saindo de casa quando foram abordadas pelo acusado, momento em que ele chamou a ex-companheira para conversar, mas ela recusou, dizendo que iria resolver o problema na Justiça.

Em seguida, mãe e filha se dirigiram à Delegacia das Mulheres para registrar as ameaças, mas foram seguidas por José Luciano, que no trajeto as abordou novamente. Ele perguntou se a vítima se reconciliaria com ele, e ao ouvir uma resposta negativa, sacou uma arma de fogo e efetuou três disparos à queima roupa.

Segundo Linda Inês, o acusado disse que se sua mãe não fosse ficar com ele, não ficaria com ninguém, efetuando os disparos logo em seguida. A sobrevivente afirmou que o réu apontou a arma para a sua cabeça e puxou o gatilho, porém a munição falhou.

O acusado confessou o crime, dizendo que matou a vítima porque ela estaria lhe traindo, mas negou ter apontado a arma para a filha da ex-companheira.