Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > INTERIOR

Vereador diz ter dúvida se filho é dele e atribui a políticos ‘invasão’ de grávida ao plenário

Político de Murici declarou teve um relacionamento rápido e conturbado com a mulher que aparece nas imagens


				
					Vereador diz ter dúvida se filho é dele e atribui a políticos ‘invasão’ de grávida ao plenário
Vereador diz ter dúvida se filho é dele e atribui a políticos ‘invasão’ de grávida no plenário. Reprodução

O vereador Abimael Pessoa (Podemos), surpreendido durante sessão da Câmara Municipal de Murici por uma mulher que cobrou reconhecimento de paternidade do filho, disse à Gazetaweb que a denúncia é fruto de uma articulação política, já que é o único do Poder Legislativo a fazer oposição à chefia de executivo municipal.

Além disso, o vereador Abimael, evangélico e solteiro, diz ainda não ter certeza se é pai da criança, já que a mulher que invadiu à sessão “pode ter se relacionado com outro homem” enquanto estavam juntos.

Leia também

O membro da Câmara Municipal de Murici declarou que teve um relacionamento rápido e conturbado com a mulher que aparece nas imagens e que hoje tem uma namorada. O vereador diz que teme reação da pessoa que diz estar grávida dele, pois, segundo o relato do edil, ela já demonstrou desequilíbrio emocional e tentou espancá-lo.

“Ficou notório naquele momento que se tratava de uma articulação política. Na hora que eu comecei a falar ela entrou e foi falando aquelas coisas. Eu dei apoio sim, com exames médicos, remédios, dinheiro, enxoval. Sou o único vereador de oposição aqui em Murici e isso incomoda”, destaca Abimael Pessoa.

Após entrar em área reservada, ela ‘invadiu’ o plenário Olavo Calheiros e se posicionou em frente a Mesa Diretora para cobrar reconhecimento da paternidade do filho do vereador. Isso aconteceu na sessão de quinta-feira (6) e o vídeo da situação viralizou nas redes sociais nesta sexta-feira (7).

O vereador a interrompeu, pedindo à Mesa Diretora que interviesse, sob a alegação de que não era permitido falar em plenário (esse direito é reservado aos parlamentares em sessões ordinárias).

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas