Sem previsão de redução, vazão em Sobradinho e Xingó permanece em 4.000 m³/s

Monitoramento é necessário mediante condição de cheia declarada pelo ONS, em articulação com a ANA

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSH) informou, nesta terça-feira (25), que as vazões dos reservatórios de Sobradinho e Xingó foram elevadas gradualmente do patamar de 1.000 m3/s para o patamar de 4.000 m3/s, no período de 12/01 a 24/01. Não há previsão de redução para os próximos dias.

O monitoramento, segundo o CBHSH, é necessário mediante a condição de cheia declarada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em articulação com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), por causa das fortes chuvas ocorridas em Minas Gerais.

De acordo com informações da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) e do ONS, em reunião na Sala de Crise da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), ocorrida na manhã desta terça (25), as defluências médias diárias dos reservatórios de Sobradinho e Xingó deverão permanecer no valor de 4.000 m3/s nos próximos dias.

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco chamou a atenção para a não ocupação de áreas ribeirinhas situadas na calha principal do rio, considerando a possibilidade de elevação da vazão a depender da evolução do quadro de chuvas na bacia.

Retirada de comerciantes

Comerciantes que atuam na Prainha de Penedo, local bastante frequentado por moradores e turistas, precisaram deixar o local, nessa segunda (24), em razão do aumento do nível do Rio São Francisco, após aumento da vazão com a abertura das comportas das Hidrelétricas de Sobradinho, na Bahia, e Xingó. Integrantes do CBHSF seguem monitorando a situação.