PC ouve parente de vítima e testemunhas de acidente com ônibus escolar em Joaquim Gomes

Polícia aguarda laudo pericial, que pode esclarecer detalhes do acidente ocorrido em Joaquim Gomes

Quase uma semana após o acidente com ônibus escolar que matou o adolescente Mislan Odilon Lima dos Santos, a Polícia Civil ouviu o motorista, um parente do garoto, um servidor e testemunhas que presenciaram o atropelamento, em Joaquim Gomes. Entretanto, o que pode ajudar a esclarecer o caso, segundo o delegado Rubens Cerqueira, é o laudo pericial.

À Gazetaweb, o delegado declarou que o inquérito policial está no início e que, se for necessário, vai pedir prorrogação ao Ministério Público Estadual (MPE). “Ouvimos de seis a sete pessoas nesse caso. O motorista se apresentou logo depois e o foi o primeiro a ser ouvido. Precisamos saber as condições do ônibus no momento do acidente”, lembra Cerqueira.

O motorista contou na delegacia que o modelo do ônibus escolar somente dá partida apenas com as portas fechadas e que o adolescente estava encostado quando caiu e acabou atropelado. Na última sexta-feira (26), o promotor de Justiça Leonardo Novaes informou que o Ministério Público de Alagoas instaurou procedimento para apurar a morte do adolescente.

Em novembro de 2017, o capotamento de um ônibus escolar na zona rural de Marechal Deodoro deixou uma criança morta e perto de uma dezena de feridos.