Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > INTERIOR

Moradores relatam tensão com tornado: "Pensei que era avião caindo"

Ao todo, 17 casas ficaram destelhadas e com paredes destruídas após a passagem do fenômeno

A força de um tornado registrado em Estrela de Alagoas, no Sertão, nessa quinta-feira (22), deixou um rastro de destruição no povoado Lageiro do Nicácio. Os moradores disseram que foram 10 minutos de desespero. Ao todo, 17 casas ficaram destelhadas e com paredes destruídas após a passagem do fenômeno.


				
					Moradores relatam tensão com tornado: "Pensei que era avião caindo"
17 casas ficaram destelhadas no povoado Lageiro do Nicácio.. TV Gazeta de Alagoas

Uma da casas que ficou destruída foi a de José Lopes. A parede da frente da casa dele caiu, deixando o imóvel desprotegido.

Leia também

"Eu fechei a porta da cozinha e com pouco tempo fez um barulho. E depois caiu a parede", relata José Lopes, imitando o barulho do vento ouvido por ele.

Outra casa também ficou com parte da estrutura destruída. Ela foi completamente destelhada e metade da estrutura frontal não existe mais.


				
					Moradores relatam tensão com tornado: "Pensei que era avião caindo"
Casa ficou destruída com passagem de tornado.. TV Gazeta

"Trabalhamos com cimento forte, não quebra com pouco. Mas infelizmente veio o vento forte e derrubou", disse o morador e pedreiro Edimilson de França.

O agricultor José Cláudio Azevedo relata com detalhes o que viu e o que sentiu com a passagem do tornado bem perto da casa dele. Ele disse que ficou apavorado e, em um dado momento, percebeu que não podia fazer nada, a não ser correr.

"Quando ele [o tornado] se formou e veio pensei até que era um avião caindo. Mas quando ele veio e formou uma nuvem de fumaça eu disse: 'Corre todo mundo que agora vai cair tudo'. A gente ficou apavorado. Coloquei os meninos para correrem. Eu fiquei na porta. Se acontecesse de a casa cair, eu iria para fora. Mas eu olhava para os quatro cantos e não via as casas, não via nada, só via aquele vento, aquele monte de terra, os paus voando. A gente não teve o que fazer. Corri para fora, minha irmã correu para fora, só via as telhas caindo. Cajueiro caiu. Nunca vi na minha vida uma coisa dessa", relata o agricultor José Claudio Azevedo.

Outra a moradora também afirmou que nunca tinha presenciado o fenômeno. "O susto foi grande. Nunca vi uma coisa dessa neste tempo em que estou neste mundo. Nunca vi", disse ela à TV Gazeta.

Mas não foram somente as casas atingidas pelo tornado. Parte da vegetação foi ao chão, árvores foram arrancadas pela raiz, postes de energia caíram, panelas de alumínio ficaram amassadas e janelas dos imóveis foram arrancadas.

Apesar dos transtornos, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) classificou o tornado de pequenas proporções. Ele teve uma velocidade, segundo o órgão, de 117 km/h.

"Tornados são caracterizados por ventos ciclônicos que rotacionam em grande velocidade em volta de um centro de baixa pressão que se materializa quando seu funil toca o chão conectando uma nuvem de tempestade ao solo", explica a Semarh.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas