Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > INTERIOR

Idosa em situação de abandono é resgatada pela Defensoria Pública

Denúncia levou o órgão até a residência em que ela permanecia trancada; mulher foi levada a um abrigo

Idosa foi resgatada pela Defensoria após recebimento de denúncia
Idosa foi resgatada pela Defensoria após recebimento de denúncia | Foto: Cortesia

Uma idosa de 93 anos foi resgatada pela Defensoria Pública do Estado de Alagoas (DPE/AL) no município de Branquinha, no interior de Alagoas. Ela se encontrava em situação de abandono, recebeu atendimento médico e foi encaminhada para a Instituição de Longa Permanência "Casa do Pobre Santo Antônio". O caso está sendo acompanhado pelo Defensor Público João Augusto Sinhorin.

A situação chegou ao conhecimento da DPE/AL há uma semana, por meio de uma denúncia realizada pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), que constatou que a idosa vivia sozinha, em condições precárias. Na quarta-feira (27), a Defensoria Pública ingressou com uma Ação Civil Pública (ACP) durante o plantão judiciário, solicitando medidas de proteção à idosa para que fosse retirada de seu domicílio e colocada em uma Instituição de Longa Permanência. Este pedido foi deferido no mesmo dia pelo Poder Judiciário.

Leia também

"Com a decisão judicial em mãos, nos dirigimos para dar cumprimento à ordem judicial. Ao chegar na residência, foi constatado que a idosa ficava o dia todo trancada no imóvel, não dispunha da chave do local (que estava em posse de uma nora que residia a uma certa distância da casa), não havia comida na geladeira (que estava desligada, inclusive), o fogão não tinha botijão de gás e, no horário da visita, a idosa ainda não havia se alimentado. As condições de higiene eram precárias, além disso, a idosa fazia uso de remédios vencidos e tinha roupas "limpas" com "bolor de mofo", relatou o defensor público.

Após a constatação, a Defensoria Pública acionou a saúde municipal para avaliação da situação de saúde física e mental da idosa. Na oportunidade, os profissionais de saúde constataram que a idosa não recebia acompanhamento pelo serviço de saúde há mais de um ano, devido à omissão dos familiares em receberem as equipes de saúde na família. Além disso, ela não estava com a vacinação contra Covid-19 e Influenza em dia.

A Instituição continuará acompanhando o caso com o objetivo de garantir que a cidadã receba o devido acompanhamento de assistência social, psicológico e de saúde.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas