Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > INTERIOR

Filha de vereador apresenta sintomas de dengue e morre em Arapiraca

Até a última quarta-feira (5), a Sesau confirmou cinco óbitos pela doença em Alagoas


				
					Filha de vereador apresenta sintomas de dengue e morre em Arapiraca
Bianca Pinheiro Leão é filha do vereador arapiraquense Fabiano Leão.. Reprodução

Após apresentar sintomas da dengue e ser internada, uma jovem de 25 anos morreu, nesta terça-feira (11), na cidade de Arapiraca. O caso que está sendo investigado pela Secretaria Municipal de Saúde. A vítima, Bianca Pinheiro Leão, é filha do vereador arapiraquense, Fabiano Leão.

Até a última quarta (5), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) confirmou cinco óbitos pela doença em Alagoas, sendo em Atalaia (1), Viçosa (1), Porto de Pedras (1), Rio Largo (1) e Maceió (1). Atualmente, seis estão sob investigação em Teotônio Vilela (1), Boca da Mata (1), Porto de Pedras (1), Viçosa (1), Atalaia (1) e Porto Calvo (1).

Leia também

No mesmo período do ano passado, 3.520 casos suspeitos de dengue foram notificados, dos quais 2.176 foram confirmados. Um óbito foi confirmado em Maceió neste período.

O painel de monitoramento das arboviroses do Ministério da Saúde (MS) mostrou uma morte suspeita causada por chikungunya em Alagoas. O levantamento não traz alteração sobre a dengue: continuam os seis registros ainda em investigação e cinco óbitos confirmados.

Dados da capital

Dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) apontam que, até a Semana Epidemiológica 23, foram contabilizados 2.369 casos de dengue e uma morte em Maceió. No mesmo período de 2023, a capital teve 1.147 casos, correspondendo a um aumento na ordem de 106%, em 2024.

Em relação à chikungunya, ainda segundo o órgão, foram confirmados 134 notificações e nenhum falecimento. Nos primeiros cinco meses do ano passado, foram notificados 320 casos da doença - uma redução de 58,41%.

Sobre a zika, 16 casos foram registrados, mas sem mortes na capital. No mesmo período de 2023, Maceió confirmou 11 notificações, significando que, em 2024, houve um aumento de 45% em relação ao ano anterior.

Os bairros da capital com maior incidência das arboviroses por 100 mil habitantes são: Pontal da Barra, Centro, Pajuçara, Canaã e Antares.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas