Arquidiocese celebra jubileu de capela histórica em Passo de Camaragibe

Igreja do Bom Despacho foi construída por portugueses em 1770

Pertencente ao município de Passo de Camaragibe, o povoado de Bom Despacho guarda um tesouro da história alagoana. A Igreja do Bom Despacho celebrará o jubileu de 250 anos, com a elevação da capela a santuário paroquial e a construção de um novo espaço para a recepção das tradicionais romarias ao local.

As celebrações têm início nesta sexta-feira (28) e culminam com a missa solene de elevação, às 10 horas do domingo (30), seguida da benção do “Recanto de Maria”, às 12 horas. As celebrações solenes do domingo serão transmitidas on-line pelo youtube e pelas redes sociais da paróquia.

As celebrações deveriam ter ocorrido em abril de 2020. Contudo, devido a não participação dos fiéis, com a pandemia, a Arquidiocese decidiu por adiar a comemoração. Hoje, com 30% da capacidade e todos os protocolos de saúde, poderá haver a presença da comunidade.

O pároco responsável, Pe. Luiz Antônio, conta que a igreja é local de uma tradição centenária. “No alto do Bom Despacho, é realizada a romaria de Nossa Senhora das Candeias. A construção do recanto é justamente para acomodar melhor os romeiros, quando voltarem às atividades. As pessoas vêm aqui para agradecer os pedidos que alcançam”, conta.

O padre destacou, ainda, a importância do reconhecimento do local como santuário. “Para nós é uma confirmação, um grande sinal de fé que brota da devoção do povo mais simples que se acorre à Maria. É uma fé genuína que nos revela, também, que toda devoção à Maria é cristocêntrica. Quem vai a ela tem seu encontro pessoal com Jesus”, afirma o padre.

Local histórico

Ainda segundo Pe. Luiz, a capela de Nossa Senhora do Bom Despacho foi erguida no século XVIII, por navegantes portugueses que travavam confronto marítimo com os holandeses pelo domínio da colônia. Em um ato de fé, trouxeram uma imagem de Nossa Senhora do Bom Despacho (título português que vê Maria como aquela que despacha os pedidos dos fiéis a Jesus).

A igreja foi construída no alto de um monte, com vista para o mar. À direita, há o Rio Camaragibe, que, à época, era navegável onde havia um porto. “Há uma fresta na parede da capela, que servia de ponto de observação para eles”, revela o pároco.

Hoje, a devoção popular fez da capela um local de turismo religioso.