Trinta e cinco idosos foram assassinados em Alagoas no ano de 2020, aponta OAB/AL

A cidade com os maiores números de casos foram Atalaia e Maribondo, com duas vítimas cada

A Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB-AL) divulgou nesta sexta-feira (11), durante coletiva, que 35 idosos foram vítimas de homicídio no estado em 2020. A maioria deles, vítima de arma de fogo.

De acordo com levantamento da Comissão Especial do Idoso, a maioria das vítimas eram do sexo masculino, um total de 30 mortes, e do interior do estado, que registrou 34 homicídios. Apenas um dos casos registrados ocorreu na capital alagoana.

A cidade com os maiores números de casos foram Atalaia e Maribondo, com duas vítimas cada. Também foram registradas mortes em Maceió, Canapi, Junqueiro, Carneiros, União dos Palmares, Anadia e Mata Grande.

Segundo os dados, foram 18 vítimas de arma de fogo, dez de arma branca e seis idosos mortos por espancamento no estado. Há, ainda, um registros de estrangulamento.

O presidente da OAB-AL, Nivaldo Barboza Jr., destacou a importância da conscientização para mudar essa realidade. “Quando a força pública não se importa com os casos, eles aumentam, por falta de fiscalização. É importante que a sociedade participe desse debate, e saiba que essa é uma questão importante, pois temos que conscientizar, é somente aprendendo que se resolve. A OAB é provocadora dos casos sociais e busca ajudar, por isso há campanhas para as pessoas denunciarem os casos. A situação irá mudar”, destaca.

De acordo com a OAB/AL, o levantamento foi feito com base em dados divulgados pela Segurança Pública de Alagoas, além de algumas notícias divulgadas pela imprensa do estado.

De acordo com a presidente do Conselho Estadual do Idoso, Elisabeth Toledo, no Brasil, em 2020, 85% de denúncias contra o idoso foram feitas somente na pandemia. "Precisamos ajudar a quem precisa. Em Maceió, temos 4 delegacias que prestam apoio aos idosos e elas estão em situação precária”, afirmou.

A importância do Disque Denúncia também foi ressaltada. “A campanha do junho violeta é de estrema importância, principalmente para conscientizar as pessoas sobre a realocação das denúncias, temos que ter o apoio da sociedade para que sirva de alerta, por isso o disque denúncia está aí, qualquer denúncia deve ser feita para o 181”, finaliza o presidente da Comissão Especial do Idoso da OAB-AL, Gilberto Irineu.