Mulher trans encontrada na Praia da Avenida morreu após sofrer asfixia por afogamento

Não foram identificados sinais de violência sexual ou tortura; o cadáver já foi liberado para sepultamento

A mulher trans encontrada na Praia da Avenida, no bairro Jaraguá, neste domingo (22), morreu após sofrer asfixia por afogamento. É o que aponta o exame de necropsia realizado nesta segunda-feira (23), pelo Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima (IML de Maceió), no corpo de Larah Skalwalker, de 26 anos.

A perita médica legista Claúdia Chroniaris, responsável pelo exame cadavérico, afirmou que, no exame, não foram identificados sinais de violência sexual ou tortura.

Segundo o IML, o resultado do exame foi enviado à delegacia em que o caso está sendo investigado, como também será encaminhado à Polícia Civil de Alagoas (PC/AL). O corpo já foi liberado para sepultamento.

O corpo da travesti foi encontrado por populares. De acordo com testemunhas, apresentava marcas de violência na boca. Após o local ser periciado, o cadáver foi encaminhado para o IML de Maceió, onde foi necropsiado.

*com informações da assessoria.