Por reajuste salarial, servidores do IFAL deflagram greve por tempo indeterminado

Categoria pede reajuste salarial de 19,99%; a greve foi decidida em Assembleia Geral Extraordinária, que foi realizada nesta segunda-feira (23)

Os servidores do Instituto Federal de Alagoas (IFAL) deflagraram greve por tempo indeterminado. A greve foi decidida em Assembleia Geral Extraordinária, que foi realizada nesta segunda-feira (23).

Os servidores pedem reajuste salarial de 19,99%, que, segundo eles, não acontece há cerca de cinco anos. "Cabe destacar, ademais, que os/as servidores/as do Ifal se encontravam em estado de greve há quase dois meses, desde o dia 23 de março deste ano. De lá para cá, tivemos várias assembleias, que decidiram manter o estado de greve, mesmo com uma boa parte dos/as servidores/as já apontando disposição para aderir à greve naquele momento", diz trecho da nota do Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Educação Básica e Profissional no Estado de Alagoas (SINTIETFAL).

Ainda de acordo com o comunicado, a categoria não pede somente reposição salarial, mas também acontece em defesa dos estudantes, em razão do "sucateamento dos Institutos Federais".

"Esta greve, portanto, não é somente por recomposição salarial das perdas inflacionárias amargadas pelos/as servidores/as públicos/as, mas, e acima de tudo, é em defesa do presente e do futuro de nossos/as estudantes, o que passa pelo acesso a uma educação digna, 100% gratuita, com condições reais de permanência e êxito e ministrada por profissionais qualificados e valorizados", informa outro trecho.

Após o início da greve, Sintietfal e o Comando de Greve realizarão assembleias municipais nos campi do IFAL, até o dia 1º de junho. O primeiro encontro acontecerá no Campus Maceió, nesta segunda (23).