Relatório de pesquisadores da Ufal aponta aumento de óbitos por Covid-19 em AL

Boletim foi divulgado nesta segunda-feira; redução de testagem pode ter influenciado em resultados

Mesmo com a queda de casos de infecção pelo novo coronavírus em Alagoas, na última semana - situação que pode ter sido causada pela redução de testagem em decorrência das festividades de fim de ano - o número de óbitos continuou crescendo. Isso é o que apontam os pesquisadores do Observatório Alagoano de Políticas Públicas para o Enfrentamento da Covid-19 da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) em relatório divulgado nesta segunda-feira (28).
"Conforme mostram os dados, após uma sequência de altas, a incidência de casos de Covid-19 em Alagoas voltou a diminuir na 52ª semana epidemiológica (SE), quando foram registrados no estado 2.147 novos casos. Por outro lado, o número de óbitos aumentou, sendo notificadas 50 mortes no estado no referido período", diz trecho do relatório dos pesquisadores da Ufal.
De acordo com o Observatório Alagoano, considerando que o número reprodutivo efetivo, Rt, de Alagoas é maior que 1 desde o fim de outubro, tendo sido estimado em 1,11 no último dia 24, esperava-se que a tendência de aumento de casos fosse mantida ao longo da 52ª SE. 
"Uma hipótese que pode explicar tal divergência pode estar ligada à diminuição no ritmo de testagem devido às festividades natalinas. Entre as evidências relacionadas a esta hipótese estão o alto número de casos suspeitos, 8.911 no dia 27/12, e o aumento na proporção de resultados positivos entre os testes RT-PCR realizados pelo Lacen, que na última SE atingiu 68% dos exames realizados (há duas semanas 50% dos exames tiveram resultado positivo). Assim, recomenda-se cautela na interpretação dos dados relacionados à incidência de casos ao longo da última semana", reforça o relatório.