Pai que matou filha entra para lista dos mais procurados em SP

Letícia havia denunciado Horácio Lazareno por estupro

A Polícia Civil colocou entre os mais procurados do estado de São Paulo o nome de Horácio Lazareno Lucas, que matou a filha de 13 anos a facadas, em São Roque (SP). Após o crime, em 3 de outubro de 2018, o pai de Letícia Tanzi fugiu para uma área de mata e não foi mais visto.

Letícia foi morta horas depois que o pai deixou a prisão onde cumpria pena por estupro contra a cunhada. Durante o período em que ficou preso, o suspeito foi denunciado pela filha pelo mesmo crime.

Ao sair da penitenciária, com o benefício de recorrer da primeira acusação de estupro em liberdade, ele foi para casa tentar convencer a adolescente para retirar a denúncia. A jovem se recusou e foi esfaqueada várias vezes.

De acordo com a investigação, o inquérito foi concluído e a prisão preventiva de Horácio foi decretada, ainda na época. No entanto, falsas denúncias e pistas baseadas em boatos de moradores levaram os policiais a dezenas de buscas em vão em cidades da região.
A maioria das pessoas afirmava ter visto Horácio com barba, boné e andando em estrada rural. Há relatos também de supostas andanças em matas de São Roque e Mairinque. Contudo, em nenhuma das situações ele foi encontrado.

Como nasceu e foi criado na região, Horácio tinha conhecimento de trilhas na mata densa de São Roque.

Horácio possui uma tatuagem no braço esquerdo escrito "Tamires". Para denunciar sobre o procurado, o telefone é o (11) 3311-3148. Um e-mail também pode ser encaminhado para [email protected]

Não é preciso se identificar pelo 181 ou direto com o setor de Capturas, pelo telefone (11) 3311-3021.

Crime

A mãe e o irmão mais novo de Letícia Tanzi afirmam que atualmente convivem com o medo. A dona de casa voltou a estudar e trabalhar. A família teme por uma retaliação de Horácio.

Em 3 de outubro de 2018, segundo a Polícia Civil, a jovem Letícia Tanzi estava em casa, quando Horácio foi até o imóvel depois que recebeu o alvará de soltura.

Enquanto ele esteve detido, Letícia o denunciou alegando que era violentada desde 2017. Horácio foi até a casa com o objetivo de convencer a filha a retirar a denúncia de estupro, segundo a mãe da jovem afirmou à polícia.

A mãe relatou também que ele estava calmo, mas a situação mudou quando a menina se negou a voltar atrás sobre a queixa.

O crime sensibilizou moradores da cidade e reuniu uma força-tarefa de buscas com equipes da Polícia Civil, Polícia Militar e Guarda Civil Municipal para encontrar o suspeito, que fugiu em direção a um matagal.

A Guarda Municipal de Itupeva foi acionada e usou cães farejadores para tentar encontrá-lo. O cão Max, da raça Bloodhound, chegou a identificar o odor de Horácio em trilhas.
Buscas na mata

A floresta na região é constituída de árvores altas e copas desenvolvidas com muitos arbustos, o que dificulta o trabalho da polícia. Além disso, a região tem diversas nascentes.

A extensão de floresta ao entorno de São Roque faz limite com outros municípios. Quem conhece a área pode ter acesso à rodovia Castello Branco e chegar a Araçariguama, cidade vizinha de São Roque.