Mais de 22 mil doses da Pfizer para imunizar crianças de 5 a 11 anos chegam a Alagoas

População nessa faixa etária é de 363 mil no estado e de 106,3 mil na capital, que ampliou os pontos de vacinação para atender a nova demanda

As 22,1 mil doses da vacina Pfizer destinadas às crianças de 5 a 11 anos estão em Alagoas desde o início da tarde desta sexta-feira (14), montante que representa 1,77% do total de 1,2 milhão que chegaram na quinta-feira (13) ao Brasil.

A população nessa faixa etária é de 363.082 crianças no estado e de 106,3 mil na capital, que ampliou os pontos de vacinação para atender a nova demanda.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), a distribuição começará a ser feita nos dias 14 e 15 de janeiro. A recomendação é que os municípios comecem, inicialmente, a vacinação de crianças com necessidades especiais e/ou comorbidades; crianças quilombolas e indígenas; e crianças de 11 anos na data da imunização.

“O lote chegou e já será distribuído aos municípios. O voo chegou 13:20 da tarde. A distribuição aos municípios ocorrerá a partir de hoje para quem puder pegar. O estado já está elaborando a nota técnica estadual com os quantitativos dos municípios", afirma Paula Gomes, da diretoria do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems) e secretária de Saúde de Santana do Mundaú.

O Ministério da Saúde destaca que a vacinação deve começar por crianças com comorbidades e deficiência permanentes, bem como indígenas e quilombolas e que cada ente deve definir a melhor estratégia local, resguardando os princípios de equidade, universalidade de acesso aos serviços de saúde.

De acordo com informe técnico do Ministério da Saúde, verifica-se que a população de 5 a 11 é estimada em 20.476.555 de pessoas distribuídas pelos Estados e Distrito Federal, onde cada ente possui um índice de representatividade. Assim sendo, para execução das pautas de distribuição destas doses conforme a disponibilidade do fabricante, uma vez que a dose para o público de 5-11 anos é diferente da dose para população maior de 12 anos, será aplicado o coeficiente de representatividade de cada Estado.

Ainda segundo o informe técnico do MS, considerando o atual cenário de transmissão comunitária da Covid-19 em todo território nacional, a emergência da variante Ômicron com alta transmissibilidade, escape imunológico à infecções prévias e ao esquema vacinal completo, bem como o orientado pela OMS que o uso de máscaras faz parte de um conjunto de medidas que devem ser adotadas de forma integrada para prevenção, controle e mitigação da transmissão de determinadas doenças respiratórias virais, incluindo a Covid-19.