Maceió e Arapiraca têm disparada de casos de Covid, apontam pesquisadores

Alagoas registrou aumento de 35% do número de infectados pelo coronavírus na última semana

Em relatório divulgado nesta segunda-feira (7), pesquisadores que compõem o Observatório Alagoano de Políticas Públicas para o Enfrentamento da Covid-19 confirmam que Alagoas registrou aumento de 35% do número de infectados pelo coronavírus na última semana, em relação ao período anterior. Esse crescimento já aparecia nos boletins diários da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e acende alerta sobre descontrole da doença, que já afeta a rede hospitalar privada. 
"A incidência de casos de Covid-19 na 49ª semana epidemiológica (SE) em Alagoas, que foi 35% maior que na SE anterior, confirma a tendência de aumento da transmissão do novo Coronavírus no estado observada nas últimas semanas. Os aumentos mais significativos continuam sendo observados nos dois principais municípios alagoanos, Maceió e Arapiraca, que registraram na 49ª SE aumento de 64% e 25% no número de novos casos, respectivamente", diz trecho do relatório dos pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).
Mesmo com o crescimento do número de casos, os óbitos continuam em queda. "Por outro lado, o número de óbitos continua caindo, tendo sido notificados dezessete mortes no estado na última semana. Quanto à ocupação hospitalar, após o aumento na demanda observado na rede privada, que tem causado suspensão de procedimentos eletivos, restrições no atendimento de emergências e lotação de UTIs2, a taxa de ocupação dos leitos disponibilizados pela rede pública para tratamento de pacientes da COVID-19 também voltou a subir, registrando 49%", acrescenta o observatório.
O secretário de Saúde Alexandre Ayres já disse que o momento exige cautela, pois os números têm crescido em Alagoas que, segundo ele, está com ocupação de 50% dos leitos. Entretanto, não há previsão de fechamento de setores econômicos. Há descontrole na transmissão observada nas últimas semanas, que tem refletido no aumento da incidência de casos, como avalia o Observatório Alagoano de Políticas Públicas para o Enfrentamento da Covid-19. 
Outra informação preocupante - de acordo com análise dos professores da Ufal - é que o número reprodutivo efetivo (Rt) de Alagoas (relacionado a transmissão do novo Coronavírus) voltou a subir, se manteve acima de 1 durante quase todo o mês de novembro e chegou a 1,33 no último dia 6. O resultado indica que, em média, cada dez pessoas infectadas estão contaminando outras treze pessoas. 
"Nesse sentido, reforçamos a necessidade de que todos os cuidados sejam tomados a fim de que possamos vencer essa batalha coletivamente. Para tanto, ainda se faz necessária a manutenção de todos os cuidados recomendados pelas autoridades sanitárias, entre os quais o uso da máscara, a higienização das mãos e a não formação de aglomerações, ao tempo que reafirmamos a necessidade da adoção de medidas eficazes de controle e fiscalização de espaços comerciais e públicos sob responsabilidade dos gestores estaduais e locais", finalizam os pesquisadores.