Entidades repudiam fala de pastor que vai 'orar para Deus levar Paulo Gustavo'

Em nota, instituições LGBTQIA + e outras defensoras de direitos humanos citam publicação de líder religioso como intolerante e conservadorista

Em nota encaminhada à imprensa, instituições LGBTQIA + e outras defensoras de direitos humanos repudiaram os comentários feitos pelo pastor da Assembleia de Deus em Alagoas José Olímpio. O líder religioso causou polêmica ao dizer que vai orar para o ator Paulo Gustavo se encontrar com Deus. O humorista encontra-se internado, em estado grave, devido às complicações da Covid-19.

Na nota, as instituições chamam o comentário de atitude agressiva e citam que o ato foi motivado por homofobia, fundamentado em intolerância e conservadorismo. Nas declarações, os integrantes ainda pedem às autoridades que crimes como estes, motivados por homofobia, sejam enquadrados na tipificação da LGBTfobia, na lei de combate ao racismo.

"A intolerância e o conservadorismo, observados não apenas em crimes de ódio como este, mas também em discursos e práticas preconceituosas, presentes em diversas instâncias do cotidiano brasileiro atual, causam sérios problemas à ordem pública democrática deste país, e entristece-nos saber que este não é um caso isolado", diz trecho da nota.

SEGUE A NOTA NA ÍNTEGRA:

CARTA DE REPÚDIO ÀS AGRESSÕES PROFERIDAS POR LÍDER RELIGIOSO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS

Instituições LGBTQIA + e outras defensoras de direitos humanos de todo o país, vem a público manifestar seu repúdio à agressão motivada por homofobia, escarrada pelo líder religioso da Assembleia de Deus em Alagoas - pastor José Olímpio, no dia de ontem, quinta-feira, 15/04 , na página oficial do Instagram do pastor.

O ato criminoso de violência, praticado por este líder religioso, contra o ator Paulo Gustavo, que se encontra internado em virtude de problemas de saúde causadas pelo COVID-19, problema sério de saúde pública e sanitária mundial, fere severamente não só Paulo, mas todas as vítimas da doença, a comunidade LGBTQIA +, classe artística e a todos os cidadãos que tenham bom senso e sintam empatia por seu próximo.

A intolerância e o conservadorismo, observados não apenas em crimes de ódio como este, mas também em discursos e práticas preconceituosas, presentes em diversas instâncias do cotidiano brasileiro atual, causam sérios problemas à ordem pública democrática deste país, e entristece-nos saber que este não é um caso isolado, mas apenas um dos tantos casos de crimes motivados por homofobia e LGBTfobia no Brasil, como foi o atentado de ontem, 15 de abril de 2021, a honra de Paulo Gustavo e todos os cidadãos decentes e de caráter libido deste país.

É urgente que crimes como estes, motivados por homofobia, sejam enquadrados da tipificação da LGBTfobia , na lei de combate ao racismo, e que punições mais rigorosas sejam tomadas contra condutas homofóbicas e atos discriminatórios.

Fora o tratamento jurídico específico para tais crimes, reconhecendo sua especificidade, compreendemos ainda que apenas através da educação é que poderemos construir um país mais tolerante à diversidade sexual, de gênero, religiosa, de pensamento, política, étnica, social e cultural.

Por fim, manifestamos nosso apoio e solidariedade ao ator Paulo Gustavo e a todos que se sentiram feridos e magoados com a fala criminosa do pastor, ao mesmo tempo comunicamos oficialmente que medidas judiciais serão tomadas contra o pastor José Olímpio - líder religioso da Assembleia de Deus em Alagoas.

Maceió, 16 de abril de 2021.

Assinam esta carta:

Nildo Correia - GGAL, CAERR - Kamila Emanuele , Givanildo Lima - ARTGAY/AL, Aliança Nacional LGBT - Toni Reis, Rede Gay Brasil - Fábio de Jesus, GGM -  Messias Mendonça, INCVF/AL - Rosaly Damião) - INCVF, Movimento dos Povos das Lagoas - Isadora Padilha, Ticiane Simões - Ateliê Ambrosina, CAVIDA - Wilza Rosa, Marcelo Nascimento - Bacharel em Direito, ativista em Direitos Humanos e  Fundador do Movimento LGBTI+ em Alagoas.

POLÊMICA

Em um post feito nas redes sociais, o pastor alagoano José Olímpio, que congrega na Assembleia de Deus da Missão de Alagoas, causou repercussão ao falar sobre o estado de saúde do ator Paulo Gustavo, internado em estado crítico na UTI de um hospital na Zona Sul do Rio de Janeiro, devido a complicações da Covid-19

Na publicação, o líder religioso chegou a compartilhar o trecho de um filme no qual Paulo Gustavo atuou, comentando que ora para o ator morrer, e não, pela sua recuperação.

“Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza. E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”, escreveu o pastor.

A grande repercussão fez com que José Olímpio retirasse a publicação das redes sociais, porém, o conteúdo já circulava nos grupos de WhatsApp. Além de pastor, ele é motorista da presidência da Assembleia de Deus.