Em 24 horas, AL registra mais 2 casos suspeitos de monkeypox e saúde investiga 35 notificações em 13 municípios

No dia 3 de agosto, homem com varíola começou a apresentar febre de início súbito, erupção cutânea aguda, dor muscular, caracterizando os primeiros sintomas

Alagoas tem um caso confirmado de monkeypox e 35 em investigação, dois a mais do que divulgado ontem (16). Os dados foram atualizados na tarde desta quarta-feira (17) pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Ao todo, as secretarias de saúde de 13 municípios investigam os casos suspeitos.

De acordo com Sesau, 55 casos suspeitos foram notificados em Alagoas, mas 19 acabaram descartados. Até esta semana, Alagoas, junto com Sergipe, era o único estado nordestino sem confirmação da doença, conforme último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (16). No entanto, nesta quarta-feira (17), a Saúde do Estado divulgou a confirmação do primeiro alagoano com a doença, após exames laboratoriais realizados pela Fiocruz.

Trata-se de um homem, de 24 anos, residente em Murici, com histórico de viagem para a Bahia. Ele não precisou ser hospitalizado e cumpre o isolamento domiciliar.

No dia 3 de agosto, ele começou a apresentar febre de início súbito, erupção cutânea aguda, dor muscular, caracterizando os primeiros sintomas. Após ser atendido em um consultório particular, no dia 8 de agosto, foi encaminhado ao Hospital Regional da Mata (HRM), em União dos Palmares, mas não precisou de internação.

Ainda este mês, um jovem de 22 anos, natural do Espírito Santo (ES), foi testado quando se encontrava em viagem a Alagoas e apresentou resultado positivo para a monkeypox, conforme resultado apresentado pela Fiocruz, caracterizando um caso importado.

“Os casos classificados como em investigação permanecem aguardando os resultados dos exames de diagnóstico para divulgação, uma vez que são processados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Para isso, o material biológico é coletado pelo Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL) e encaminhado para a capital carioca, por meio de uma transportadora contratada pelo Ministério da Saúde (MS)”, informa boletim da Sesau.

As cidades onde os 35 casos estão sendo investigados são:

  1. Arapiraca
  2. Branquinha
  3. Chã Preta
  4. Coruripe
  5. Colônia Leopoldina
  6. Maceió
  7. Olho D'Água do Casado
  8. Pariconha
  9. Penedo
  10. Piaçabuçu
  11. Rio Largo
  12. Santana do Ipanema
  13. São Miguel dos Campos

*Com assessoria