Comenda Arnon de Mello é entregue a oito personalidades em noite de homenagens

A solenidade contou com a presença de autoridades e representantes de diversos segmentos da sociedade alagoana

Em uma noite de celebração da força alagoana, o Instituto Arnon de Mello (IAM) e a Academia Brasileira de Ciências, Artes, História e Literatura (Abrasci) entregaram a Comenda Arnon de Mello a alagoanos que inspiram com suas histórias de reinvenção e empreendedorismo. A cerimônia ocorreu na noite desta quinta-feira (2), no salão nobre da Casa da Palavra, localizada no centro de Maceió. A entrega da comenda marca a celebração pelos 110 anos do ex-governador e ex-senador por Alagoas, Arnon de Mello.

A solenidade contou com a presença de autoridades e representantes de diversos segmentos da sociedade alagoana, que prestigiaram a segunda edição da solenidade. Na primeira, a medalha foi outorgada a cinco personalidades e, nesta, oito receberam a condecoração.

Os agraciados foram escolhidos de maneira unânime pelos dirigentes das entidades organizadoras, a Abrasci e o Instituto Arnon de Mello. São eles:

  1. José Carlos Lyra de Andrade – presidente da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (FIEA-AL)
  2. Kennedy Davidson Pinaud Calheiros –presidente da Associação Comercial de Maceió e da Federação das Associações Comerciais do Estado de Alagoas
  3. José Gilton Pereira Lima – presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de alagoas (Fecomércio-AL)
  4. Douglas Apratto Tenório - Vice-reitor do Cesmac
  5. Manoel Cardoso Linhares –presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional)
  6. Severino Vieira da Silva - empresário do grupo Casa Vieira
  7. Nelson Carneiro Lopes -publicitário da Chama Publicidade
  8. Aloísio Alves Souza - publicitário da Chama Publicidade

'Arnon escreveu parte da nossa história', afirma Milton Hênio, durante cerimônia

O decano do Conselho Estratégico da Organização Arnon de Mello foi o orador da noite - Foto: Douglas Júnior/ Gazeta de Alagoas

Um dos presentes foi o decano do Conselho Estratégico da Organização Arnon de Mello, Milton Hênio Netto de Gouveia. Ele foi escolhido como orador da noite de homenagens e relembrou a trajetória de Arnon de Mello, de quem foi amigo por mais de 50 anos.

"Arnon escreveu parte da nossa história, da história de Alagoas. Uma vida reta, um jornalista, empresário e político exemplar, um legado imortal", afirmou.

Aos 84 anos, Milton Hênio ressaltou o pioneirismo da Organização Arnon de Mello (OAM) e evidenciou que o jornal Gazeta de Alagoas foi às ruas pela primeira vez em 1934.

"O jornal se tornou uma grande empresa, uma organização que trabalha em função da sociedade alagoana, por meio dos nobres jornalistas", disse ele.

"A organização foi muito bem cuidada pelos filhos de Arnon e, hoje, continua sendo protagonista no nosso Estado", reforçou.

'Arnon de Mello foi homem empreendedor e visionário'

Fernando James, diretor comercial da Gazeta de Alagoas, fala sobre a trajetória do avô - Foto: Douglas Júnior/ Gazeta de Alagoas

Dentre os presentes na cerimônia, o diretor executivo da Organização Arnon de Mello, Luís Amorim; e o diretor comercial da Gazeta de Alagoas, Fernando James Braz Collor de Mello, que é neto do homenageado.

Para Fernando James, o avô estaria orgulhoso pela noite de hoje. "Assim como Arnon de Mello, essas pessoas agraciadas merecem nosso mais profundo sentimento de respeito. Para meu avô, os parceiros eram amigos e assim deveriam ser tratados", ressaltou.

Luis Amorim, diretor executivo da Organização Arnon de Mello, afirma que a comenda serve de inspiração para que os novos comendadores continuem trabalhando e servindo de exemplo, principalmente neste momento de retomada da economia.

"O Senador Arnon de Mello foi um homem empreendedor, um homem da cultura, um visionário. Que ele seja um símbolo de homem empreendedor, para que, neste momento de retomada da economia, sigamos trabalhando por uma Alagoas mais rica e mais justa", finaliza.

José Gilton Pereira Lima, presidente da Fecomércio-AL, é um dos condecorados e declarou que a Comenda Senador Arnon de Mello chega em um momento de otimismo, com a retomada das atividades.

"É um momento importante e estamos felizes por participar. Isso faz com que nossa responsabilidade aumente. É uma comenda, mais importante ainda por ser a Comenda Arnon de Mello. Além de honrado, sinto-me na obrigação de trabalhar ainda mais em prol da sociedade alagoana", diz.

Nelson Carneiro Lopes, um dos fundadores da Chama Publicidade, lembrou que conheceu o senador Arnon de Mello e pôde acompanhar parte de sua nobre trajetória.

"Representa uma história de sucesso e de cinco décadas de parceria com a Chama Publicidade. Desde o senador, que tive a honra de conhecer e que abriu as portas da sua empresa para a minha, até o dia de hoje. É a propaganda de Alagoas que está em agradecimento. Não por Nelson, mas por todos", afirma.

De acordo com o secretário-geral da Abrasci, Michel Chelala Siqueira, a honraria entregue esta noite é o Grão-Colar Arnon de Mello. Segundo ele, o "Grão-Colar" é considerado um dos mais altos graus de uma ordem honorífica.

"Nossa entidade tem obrigação de divulgar os valores históricos e morais e reconhecemos a homenagem aos 110 anos de Arnon de Mello e também às personalidades que seguem fazendo história em Alagoas", afirma o secretário da Abrasci.

Estiveram presentes ainda o vereador por Maceió, Chico Filho; a presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural de Maceió, Miriam Monte; o secretário de Estado da Comunicação de Alagoas, Ênio Lins; e o presidente da Academia Alagoana de Letra, Alberto Rostand Lanverly.

Honraria Arnon de Mello é entregue a personalidades alagoanas - Foto: Douglas Júnior/ Gazeta de Alagoas

Após a entrega das comendas, o diretor executivo da Chama Publicidade, Herman Fernandes, recebeu uma placa de agradecimento e reconhecimento aos 40 anos de atuação da agência em Alagoas. Além dele, os dois sócios da Chama, Nelson Carneiro Lopes e Aloísio Alves Souza, receberam ainda a Grã-Cruz Senador Arnon de Mello, láurea também outorgada pela Academia Brasileira de Ciências, Artes, História e Literatura e pelo Instituto Arnon de Mello.