PRF apreende no TO combustível viria para Alagoas, mas acabou desviado

Em todos os casos, os caminhões estavam trafegando em um trajeto totalmente divergente

Durante ação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), ocorrida nessa quinta-feira (22), equipe flagrou caminhões carregados de combustível – parte apreendido em Guaraí (TO) e que seria trazido para Alagoas - mas acabou desviado. O esquema funciona da seguinte forma: as empresas emitem nota fiscal para estados com menor carga tributária, sonegando assim impostos para o destinatário, causando prejuízo à economia. Os caminhões estavam trafegando em um trajeto totalmente divergente daquele previsto no documento fiscal apresentado.

A PRF apreendeu, no total, seis semirreboques do tipo tanque carregados com cerca de 178 mil litros de etanol e constatou que três motoristas que conduziam os caminhões apresentaram documento fiscal incompatível com o transporte efetivamente realizado, combustível avaliado em mais de meio milhão de reais.

De acordo com a PRF, outros dois caminhões apreendidos em Guaraí também estavam na mesma situação, teriam carregado etanol em Mato Grosso e deveriam levar o combustível para Alagoas, no entanto, estavam em um trajeto divergente da rota mais curta e normalmente utilizada. As ações foram orientadas por inteligência e resultaram na abordagem de 3 caminhões, cada um com 2 semirreboques do tipo tanque acoplados – duas abordagens ocorreram em Guaraí/TO e uma em Araguaína/TO.

Em um dos casos, o caminhão foi carregado com combustível em Nova Mutum/MT e deveria levar, segundo a Nota Fiscal, o etanol para Jardinópolis/SP, no entanto, o veículo foi abordado em Araguaína/TO - trajeto mais distante e no sentido contrário da direção da cidade de entrega.

“Os 3 motoristas alegaram não saber sobre a irregularidade e que as mudanças de trajeto teriam sido orientadas pelos padrões, sendo que iriam receber a nova Nota Fiscal. Nas 3 ocorrências a Secretaria da Fazenda do Tocantins foi informada emitirá as devidas multas pela prática ilegal. Ademais, os flagrantes também poderão desencadear ações criminais pela prática do crime tributário", informa a PRF.