Candidatos aprovados fazem manifestação na Ponta Verde contra anulação do concurso para soldado da PM

Cerca de 200 pessoas, com cartazes e apitos, fazem parte da mobilização. Uma caixa de som também está sendo usada para chamar atenção de quem passa pelo local

Aprovados no concurso da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL) fazem um protesto pacífico no bairro da Ponta Verde, em Maceió, neste domingo (16), para cobrar a volta do certame para o cargo de soldado. Recentemente, a Justiça determinou que o Governo mantenha os concursos de oficial da PM e dos bombeiros após os cancelamentos devido à fraudes identificadas nos concursos.

De acordo com informações da comissão dos aprovados, cerca de 200 pessoas, com cartazes e apitos, fazem parte da mobilização. Uma caixa de som também está sendo usada para chamar atenção de quem passa pelo local.

"Pedimos a volta do concurso. Estamos fazendo um ato de boa fé, mostrando a população que estamos sendo vítimas de injustiça por parte do Governo de Alagoas", disse Cicero Jacinto, aprovado no certame para o cargo de soldado.

DECISÃO

A Justiça de Alagoas determinou, no último dia 11, que o Governo de Alagoas prossiga com o concurso da Polícia Militar voltado para os oficiais combatentes da corporação. A decisão ocorre após pedido da Defensoria Pública que considerou o Governo de Alagoas, por meio da a Secretaria de Planejamento (Seplag), precipitado e afirmou ainda que a pasta anulou as etapas usando de dados "inexistentes" para se fundamentar. Com a decisão, a Justiça determinou que o Estado mantenha as etapas do concurso já realizadas e as aproveite para o prosseguimento daquelas que estão por vir.

A decisão reforça o pedido da Defensoria de que a penalidade pela suposta fraude, que ainda está sendo investigada, seja imposta de forma individualizada, e que para isso, não se anule as etapas do certamente, jogando "todos na vala comum".

Para pedir o prosseguimento do concurso sem a repetição das etapas já realizadas, a Defensoria Pública criticou a Seplag, alegando que a pasta prejudicou todos os candidatos, em um certame que teve poucos aprovados para o número reduzido de vagas.