Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > GERAL

Apesar de apelo de artistas, governo de AL mantém veto de apresentações ao vivo

Comissão critica medida e diz que músicos estão com dificuldades financeiras

O governo de Alagoas decidiu que não irá voltar atrás na decisão de proibir apresentações ao vivo nos bares e restaurantes do estado. Em vídeo divulgado nas redes sociais, a cantora Gaby Leite informou que recebeu uma ligação do secretário de Estado do Gabinete Civil, Fábio Farias, no fim da tarde desta terça-feira (29), para fazer o anúncio.

De acordo com a cantora, o secretário disse que uma nova discussão sobre o assunto só deve acontecer a partir do dia 1° de janeiro de 2021. Leite faz parte de uma comissão de negociações que se reuniu com Fábio Farias na manhã desta terça-feira (29).

Leia também

A proibição foi publicada em edição suplementar do Diário Oficial, na quarta-feira (23), e impediu shows nos estabelecimentos, conforme o Plano de Distanciamento Social Controlado, em razão da pandemia da Covid-19.

Segundo Gaby Leite, a comissão de músicos classificou a decisão do governo como injusta. "Estamos indignados com essa decisão. Fizemos tudo que a gente podia. Estamos exaustos porque vimos que a nossa luta não obteve o resultado desejado. Sabemos que muitos estão passando por muitas dificuldades nesse momento. Foi tirado de nós o direito de trabalhar", afirmou.

A cantora explicou que é nestas duas últimas semanas do ano que estes trabalhadores conseguem "arrecadar um pouco mais de dinheiro para fazer a reserva no final do ano". Ela conta que eles usam esses recursos para pagar as contas. "Estamos todos indignados com o desfecho de tudo isso, mas a luta vai continuar", afirma. Segundo ela, os músicos devem realizar um protesto no dia 1º de janeiro na orla da capital.

Procurada, a assessoria do Gabinete Civil informou ainda não há uma informação oficial, pois segue a negociação.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas