Alagoas registra mais 18 mortes por Covid: dez mulheres e oito homens

No boletim desta terça-feira, a Sesau confirma mortes na capital e no interior

O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), desta terça-feira (4), confirma mais 531 novos casos de Covid-19 e 18 mortes em Alagoas, sendo dez mulheres e oito homens. São, oficialmente, 175.946 casos confirmados do novo coronavírus e 4.293 óbitos. Há 3,2 mil pessoas estão em isolamento domiciliar; 167,6 mil recuperados da doença e 9,8 mil casos em investigação.

Segundo a Sesau, os casos confirmados de pessoas com a Covid-19 estão distribuídos nos 102 municípios alagoanos. Em relação ao quadro total de óbitos em Alagoas, estão confirmados 4.293 óbitos por Covid-19, mas, oito deles, eram de pessoas residentes em Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e Bahia, tendo como vítimas seis homens e duas mulheres. Dos 4.285 óbitos de pessoas residentes em Alagoas, 2.385 eram do sexo masculino e 1.900 do sexo feminino. Eram 1.976 pessoas que residiam em Maceió e as outras 2.309 moravam no interior do Estado, segundo o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), da Sesau.

Oito vítimas de Maceió e 10 do interior do Estado não resistiram à Covid nas últimas horas. Na capital, as vítimas eram dois homens de 63 e 64 anos, além de seis mulheres de 32, 48, 51, 58, 68 e 80 anos. O homem de 63 anos tinha doença cardiovascular, hipertensão e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA) e o idoso de 64 anos não tinha comorbidades e morreu na Santa Casa de Maceió.

A mulher de 32 anos era obesa e morreu no Hospital do Coração de Alagoas, em Maceió; a de 48 anos não tinha comorbidades e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; a mulher de 51 anos tinha doença cardiovascular e morreu no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió; a de 58 anos tinha Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), síndrome do pânico e morreu na Santa Casa de Maceió; a idosa de 68 anos era hipertensa, diabética e morreu no Hospital do Coração de Alagoas, em Maceió; e a de 80 anos tinha labirintite, hipertensão, sequelas de um Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI) e morreu no Hospital Arthur Ramos, em Maceió.

Em relação às 10 vítimas que residiam no interior, eram seis homens, sendo um de 32, um de 49, dois de 65, um de 66 e um 78 anos, além de quatro mulheres de 42, 51, 60 e 78 anos. O homem de 32 anos, morava em Maribondo, tinha hipertensão e morreu no Hospital Regional de Arapiraca; o homem de 49 anos, morava em Rio Largo, tinha diabetes, hipertensão e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; o primeiro homem de 65 anos, era de Matriz do Camaragibe, tinha hipertensão e morreu no Hospital da Mulher (HM), em Maceió; o segundo homem de 65 anos, morava em Arapiraca, tinha doença cardiovascular crônica e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; o idoso de 66 anos, residia em Estrela de Alagoas, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Santa Rita, em Palmeira dos Índios; o homem de 78 anos, era de Arapiraca, tinha hipertensão, diabetes e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; a mulher de 42 anos, residia em União dos Palmares, era hipertensa, tinha linfoma e morreu na Santa Casa de Maceió; a mulher de 51 anos, morava em Arapiraca, era obesa e morreu no Hospital Chama, em Arapiraca; a mulher de 60 anos, residia em Delmiro Gouveia, era hipertensa e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; e a idosa de 78 anos, morava em Marechal Deodoro, era diabética, hipertensa, obesa e morreu na Santa Casa de Maceió.

No boletim consta que dos 1.416 leitos criados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) para atender, exclusivamente, pacientes com suspeita e confirmação de infecção pelo novo coronavírus, 686 estavam ocupados até às 16 horas da segunda-feira (03), o que corresponde a 48% do total. Atualmente, 289 pacientes estão em leitos de UTI, 13 ocupando leitos intermediários e 384 em leitos de enfermaria.