Agentes de saúde e endemias convocam assembleia para decidir greve geral em Maceió

Categoria discutirá negociações com a prefeitura em relação à implantação do piso nacional

Mais uma etapa na luta dos agentes de saúde pela implantação do piso nacional dos trabalhadores foi deflagrada com a convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária da categoria, na próxima quinta-feira (29), às 08 horas, no Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa), no Farol, em Maceió. Eles podem deflagrar greve por tempo indeterminado na capital.


Segundo consta do edital de convocação, publicado pelo Sindicato dos Agentes de Saúde de Alagoas (SINDAS), a pauta que será submetida aos presentes passa pela atualização do andamento das negociações com a Prefeitura de Maceió em relação à implantação do piso nacional da categoria; discussão sobre o relatório das condições de trabalho encontradas nos pontos de apoio dos trabalhadores; e, por fim, a possibilidade da deflagração de uma greve por tempo indeterminado.

Os agentes de saúde e endemias de Maceió já protagonizaram episódios de confronto com a atual gestão municipal de Maceió, quando trabalhadores ocuparam a sede da Secretaria de Economia e Finanças de Maceió (Semec), no Centro, que teve o funcionamento suspenso por uma semana, gerando prejuízos para o órgão e aos contribuintes.


Os servidores também decidiram rejeitar uma proposta apresentada pelo Município. Caso não haja avanço das negociações, os trabalhadores podem realmente entrar em greve por tempo indeterminado.


"Foi oferecido um valor de R$ 6 mil dividido em 12 vezes, que dá R$ 500. Esse valor não contempla os trabalhadores”, disse Alessandro Fernandes, diretor do Sindicato dos Servidores da Secretaria de Saúde do Município de Maceió.

O edital de convocação é assinado pelo presidente do SINDAS, Adeilton Ferreira da Silva.