Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > ESPORTES

Piastri bate Ferrari e puxa 1-2 da McLaren no TL3 em GP

Piloto australiano acertou um belo giro no TL3 deste sábado (18), em Ímola


				
					Piastri bate Ferrari e puxa 1-2 da McLaren no TL3 em GP
Piastri liderou o último treino livre. GABRIEL BOUYS / AFP

Oscar Piastri deu o troco sobre a Ferrari no TL3 do GP da Emília-Romanha e foi o mais rápido na sessão que antecede a classificação deste sábado (18). O australiano da McLaren acertou todos os trechos da pista com os pneus macios e cravou 1min15s529, 0s538 mais rápido que Carlos Sainz, que ainda viu Lando Norris aproveitar o composto com o cronômetro zerado e terminou em segundo.

A McLaren optou por calçar os pneus macios somente nas voltas finais, mas a performance de médios já dava o tom de que seria difícil bater os carros de Piastri e Norris quando os compostos de faixa vermelha entrassem em ação.

Leia também

Na primeira ida com eles, Piastri foi atrapalhado pela bandeira vermelha causada por Fernando Alonso e não conseguiu completar o giro. Depois, cometeu um erro na saída da Rivazza quando vinha com os dois melhores setores, fechando um tempo muito alto.

Era, portanto, questão de ser perfeito para não dar chance à rival vermelha, e foi o que aconteceu nos minutos finais, pouco antes de nova intervenção da bandeira vermelha, agora causada por Sergio Pérez. O australiano encaixou um ótimo giro e entrou na casa de 1min15s, detonando o tempo de Sainz, então líder.

A direção de prova liberou a pista a pouco mais de dois minutos para o fim, e o TL3 virou um salseiro, como vários carros ainda buscando a chance de mais uma voltinha. Max Verstappen foi um deles, mas não teve chances de abrir o giro. Melhor para Norris, que passou com folga e ainda pegou o setor 3, o suficiente para colocá-lo à frente dos carros da Ferrari.

Charles Leclerc ficou em quarto, com George Russell à frente de Verstappen, mas com um detalhe: o neerlandês só andou de médios e chegou a ser melhor que a Ferrari em alguns momentos.

Confira como foi o TL3 da F1 em Ímola:

A sessão começou com os termômetros em 23°C de temperatura ambiente com asfalto em 44°C e umidade relativa do ar em 42% — semelhante ao visto nos treinos de sexta-feira. Seriam, daqui em diante, 60 minutos para os ajustes finais em busca do melhor acerto tanto para a classificação de logo mais quanto para a corrida.

Para Ferrari e McLaren, era o momento de confirmar a ótima performance da sexta-feira. Já a Red Bull teria de aproveitar bastante cada instante do TL3 para se colocar como candidata à pole depois de um dia em que nada deu certo, principalmente para Verstappen, que reclamou bastante da falta de aderência do RB20.

Assim que os carros começaram a ir para a pista, Leclerc assumiu a liderança, porém o duo da Red Bull, de médios, pulou para a ponta, com Pérez à frente de Verstappen. Sainz, então, recolocou a Ferrari no topo ao baixar em 0s2 o tempo do mexicano.

Leclerc emendou mais um giro rápido e cravou 1min16s281, mais de 1s melhor que o tempo de Pérez. Boa parte do grid, na verdade, ainda aguardava os minutos iniciais nos boxes. Ferrari e Red Bull tinham toda a pista de Ímola ao dispor, e os taurinos logo mostraram que não seria tão fácil tirar a pole-position de Max: com pneus médios, o neerlandês passou 0s2 abaixo da marca de Leclerc no setor 1, mas o segundo trecho voltou a fazer diferença. Mesmo assim, a volta final foi apenas 0s190 mais lenta que a de Charles, registrada com os compostos macios.

Perto dos 15 minutos percorridos da sessão, os demais pilotos foram deixando o pit-lane um a um. Os primeiros foram os carros da Alpine, de médios; depois veio a Aston Martin, com os compostos duros, usando a primeira parte da sessão para acerto de corrida.

No giro seguinte, Verstappen enfim conseguiu acertar o setor 2 e tirou 0s010 da marca de Leclerc. Não foi o bastante para pegar a primeira colocação, mas a distância para a SF-24 #16 já caiu para 0s085 no geral.

Pouco menos de 40 minutos para o fim, apenas McLaren e Tsunoda ainda permaneciam nos boxes. Na pista, o carros da Mercedes, com macios, sofriam mais que o normal comparado à sexta-feira, com Russell e Hamilton fechando os primeiros giros rápidos a 1s2 e 2s de Sainz — agora líder, à frente de Leclerc — respectivamente. O heptacampeão, aliás, levou um susto ao ser informado pelo engenheiro da diferença.

Quando Norris enfim foi para a pista, colocou-se em quarto, entre Verstappen e Pérez. A curiosidade é que o MCL38 também estava calçado de médios, ao contrário da escolha da Ferrari até então. E quando o relógio marcou cerca de 35 minutos para o fim, a bandeira vermelha deu o ar da graça após Alonso perder a traseira e bater na Rivazza.

A intervenção durou em torno de dez minutos, com o cronômetro correndo, conforme é de praxe nos treinos livres. Piastri, que no momento do incidente de Alonso vinha em volta de aquecimento, tratou de ir logo à pista para registrar tempo, e ao contrário do companheiro de equipe, optou pelos macios. Os dois primeiros setores não foram tão bons, mas o último trecho do australiano foi o melhor da sessão até então, fechando o giro a 0s190 da marca de Sainz.

Quando todos enfim registraram tempos, o top-10 era formado por Sainz, Leclerc, Piastri, Verstappen, Norris, Pérez, Russell, Ricciardo, Hamilton e Sargeant. O #81 da McLaren, então, veio para mais uma tentativa, agora com o melhor primeiro setor. No segundo trecho, perdeu um pouco de tempo, mas ainda foi mais rápido, só que o erro na saída da Rivazza o fez fechar a volta a mais de 1s do líder.

Nos dez minutos finais, foi a hora de buscar a volta rápida definitiva antes da classificação, e Piastri mais uma vez acelerou com tudo. Agora, porém, não houve contratempos ou erros: um giro perfeito, com todos os setores em roxo que o colocaram 0s5 à frente de Sainz. Perto do fim, Pérez escapou e bateu, causando nova bandeira vermelha, mas ainda houve tempo para Norris retornar à pista com macios e assegurar a dobradinha papaia.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas