Marcinho, do Athletico, faz acordo de indenização dos herdeiros de casal morto em atropelamento

Jogador vai pagar R$ 200 mil aos quatro netos (R$ 50 mil para cada) dos professores Alexandre Silva de Lima e Maria Cristina José Soares. Ele segue respondendo criminalmente por homicídio culposo

O lateral-direito Marcinho, hoje no Athletico, entrou em acordo para indenizar os herdeiros do casal de professores que atropelou e matou no Rio de Janeiro, na noite de 30 de dezembro de 2020.

Segundo o advogado do jogador, Bruno Cardoso Pinto, Marcinho vai pagar R$ 200 mil aos quatro netos (R$ 50 mil para cada) dos professores Alexandre Silva de Lima e Maria Cristina José Soares.

O acordo ocorre na vara cível. Marcinho ainda responde pelo atropelamento na vara criminal. No início de maio, o juiz Rudi Baldi Loewenkron, da 34ª Vara Criminal, aceitou a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP/RJ), e o jogador vai responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar), agravado por ausência de prestação de socorro às vítimas.

O acordo para o pagamento dos R$ 200 mil aos netos ocorre na Justiça por eles serem menores de idade. Em paralelo, Marcinho tem um acordo extrajudicial com cinco parentes maiores de idade dos professores. O valor dessa indenização não é revelado, mas a maior parte, segundo o advogado de Marcinho, já está pago.

Enquanto aguarda, Marcinho segue treinando e jogando normalmente no Athletico. O jogador de 25 anos já disputou 10 partidas com a camisa rubro-negra - quatro como titular e seis saindo do banco de reservas. Hoje, ele é reserva de Khellven na posição.