Boxeador Esquiva Falcão é vítima de racismo em suas redes sociais

"Eu não trato ódio com ódio, eu trato ódio com amor", respondeu o medalhista olímpico após ataques de um seguidor

O boxeador Esquiva Falcão foi vítima de racismo, nesta terça-feira (27/9), após um de seus seguidores no Instagram chamá-lo de “macaco, preto, feio, pobre e sua cor é de vagabundo”. O medalha de prata em Londres 2012 e 1º colocado no ranking da Federação Internacional de Boxe (FIB) respondeu: “Não são só vocês, eu também passo por isso, uma pessoa dessa precisa de amor. Eu não trato ódio com ódio, eu trato ódio com amor.”

Como primeiro desafiante do título da FIB, Esquiva aguarda a possibilidade de enfrentar o campeão Gennady GGG Golovkin ainda este ano. Sergio Batarelli, manager do pugilista nacional, aguarda para os próximos dias uma carta da organização, indicando o que vai acontecer com a carreira do brasileiro.

Como GGG também é dono do cinturão da Associação Mundial de Boxe (AMB), existe a possibilidade do boxeador do Casaquistão enfrentar o cubano Erislandy Lara e abdicar do título da FIB. Com isso, Esquiva pode lutar pelo cinturão vago com o australiano Michael Zerafa ainda este ano.

Esquiva Falcão tem 32 anos e está invicto em oito anos no boxe profissional. Ele soma 30 vitórias, com 20 nocautes.

Enquanto aguarda uma definição sobre o futuro de sua carreira, Esquiva viaja na semana que vem para o Vietnã, onde vai participar de um evento promocional de um de seus patrocinadores.