Alvo do Atlético-MG, Diego Godín volta a ser ausência no Cagliari e negocia rescisão contratual

Zagueiro de 35 anos segue treinando no Uruguai enquanto aguarda resposta do time italiano

Na mira do Atlético-MG, o zagueiro uruguaio Diego Godín ficou novamente de fora de uma partida do Cagliari. O time italiano voltou a vencer no Campeonato Italiano após três meses, bateu a Sampdoria por 2 a 1 ontem (6). Mas Godín nem na Itália está. O veterano aprimora a parte física no Uruguai.

É uma expectativa do próprio Godín com os italianos, desde que o jogador foi criticado publicamente pelo diretor esportivo do Cagliari, na derrota por 4 a 0 perante a Udinese. Desde então, ele, assim como o compatriota Martín Cáceres, foi afastado da equipe. Há a certeza de que no clube italiano o capitão da seleção uruguaia não ficará.

Com a notícia de que o Atlético tinha interesse em Godín, a concorrência, que já era significativa, aumentou. Clubes da prateleira média da Espanha acionaram seus telefones. O Bétis, por exemplo, está de olho também. O jornalista italiano Fabrizio Romano publicou que Godín irá mesmo rescindir no Cagliari e decidirá seu futuro em poucos dias, com o Galo ainda forte no páreo.

As armas do Atlético para convencer Godín estão na mesa. É o atual campeão brasileiro, e da Copa do Brasil, apostando as fichas de 2022 na reconquista da Copa Libertadores. Além disso, o "Faraó" chegaria ao time com tapete vermelho para ocupar a vaga que será deixada por Junior Alonso, prestes a ser vendido para a Rússia.

Se Godín acertar no Atlético, então a linha defensiva toda do Atlético de Madrid vice-campeão da Champions em 2013/2014 (perdeu para o Real Madrid) terá tido passagens pelo futebol brasileiro. Juanfran (lateral direito) jogou no São Paulo em 2019/20, Miranda está ainda no Tricolor, Filipe Luís segue no Flamengo.

Naquela final em Lisboa, Diego (Flamengo) estava no banco, e o atacante Diego Costa (segue no próprio Atlético) foi titular, saindo com nove minutos de jogo por lesão. Vale lembrar que Godín abriu o placar a favor do Atleti no primeiro tempo, e o Real Madrid impediu o título com gol de Sergio Ramos nos acréscimos. Na prorrogação, a equipe blanca fez mais três gols.