Torcedores do Manchester United invadem CT em protesto contra donos do clube

A polícia precisou ser acionada, mas manifestantes só se acalmaram após conversa com o técnico do time Ole Gunnar Solskjaer, que precisou intervir para que os torcedores liberassem o campo

Em meio ao fiasco da Superliga, torcedores do Manchester United invadiram o centro de treinamento de Carrington para se manifestar contra a família americana Glazer, que é dona do clube desde 2003. O grupo que estava no protesto bloqueou as duas entradas do CT, e foi até o campo do time principal para estender faixas e cartazes pedindo a saída dos donos do United.

A polícia foi acionada, mas os manifestantes só se dispersaram após terem uma conversa com o técnico da equipe Ole Gunnar Solskjaer, que teve que intervir junto com o jogador Nemanja Matic e com os dirigentes e ex-jogadores Darren Fletcher e Michael Carrick, para que a situação se acalmasse.

O protesto acontece após Joel Glazer, dono do Manchester United e um dos vice presidentes da Superliga, publicar uma carta aberta nesta quarta-feira (21/04) pedindo desculpas aos torcedores.

Carta na íntegra:

A todos os torcedores do Manchester United,

Nos últimos dias, todos testemunhamos a grande paixão que o futebol gera, e a profunda lealdade que nossos fãs têm com este grande clube.

Vocês deixaram muito claro a posição de vocês em relação a Superliga européia, e nós ouvimos. Nós entendemos errado, e queremos mostrar que agora podemos fazer a coisa certa.

Embora as feridas estejam abertas, e eu entendo que vai levar um certo tempo para que essas cicatrizes curem, eu estou pessoalmente comprometido em reconstruir a confiança com nossos torcedores e aprender com essa mensagem que vocês entregaram com tanta convicção.

Continuamos a acreditar que o futebol europeu precisa se tornar mais sustentável a longo prazo. No entanto, aceitamos totalmente que a Superliga não era a maneira certa de fazer isso.

Ao procurar criar uma fundação mais estável para o jogo, não conseguimos mostrar respeito suficiente pelas tradições profundas do futebol - e por isso nos desculpe.

Este é o maior clube de futebol do mundo e pedimos desculpas sem reservas pela agitação causada durante esses últimos dias. É importante deixar isso claro.

O Manchester United tem uma herança rica e reconhecemos nossa responsabilidade de viver de acordo com suas grandes tradições e valores.

A pandemia nos trouxe desafios únicos e estamos orgulhosos do modo como Manchester United e seus torcedores de Manchester e em todo o mundo reagiram às enormes pressões durante este período.

Também percebemos que precisamos nos comunicar melhor com você, nossos fãs, porque você sempre estará no coração do clube.

Você pode ter certeza de que estaremos tomando as medidas necessárias para reconstruir o relacionamento com outras partes interessadas em todo o jogo, para que possamos trabalhar juntos e encontrar soluções para os desafios de longo prazo enfrentando a pirâmide do futebol.

Neste momento, nossa prioridade é continuar apoiando todas as nossas equipes enquanto eles trabalham duro para terminar a temporada da melhor maneira possível.

Para encerrar, gostaria de reconhecer que é o seu apoio que torna este clube tão grande e agradecemos por isso.

Com os melhores votos,

Joel Glazer.

Protestos pela Inglaterra

A semana está sendo de protestos nos seis clubes ingleses envolvidos com a Superliga. Na segunda-feira (19/04), torcedores do Liverpool se reuniram em frente ao estádio de Anfield e os torcedores do Arsenal no Emirates Stadium para protestar contra a criação da Superliga. No dia seguinte, mais de 1.000 torcedores do Chelsea foram até o estádio de Stanford Bridge também para se manifestar contra o projeto. Já na quarta-feira (21/04), foi a vez dos torcedores do Tottenham levarem faixas e cartazes até o estádio do clube, que fica no norte de Londres, pedindo a saída do grupo que controla os Spurs, o ENIC (sigla em inglês para Corporação Nacional de Investimento Inglês), cujo acionista Daniel Levy é o diretor geral do clube.