Técnico da Coreia acumulou polêmicas ao trabalhar no Cruzeiro

De polêmica do fair play à revolta de jogador, Paulo Bento teve passagem de poucas boas lembranças no futebol brasileiro

A Seleção encontra um treinador que fala o mesmo idioma que o nosso país e que já trabalhou nas nossas terras. Técnico da Coreia do Sul - adversário das oitavas de final da Copa do Mundo -, Paulo Bento treinou o Cruzeiro em 2016 (sob aval de Felipão) e tem poucas boas lembranças, acumulando polêmicas fora de campo na passagem pelo Brasil.

Sem emprego após sair da seleção de Portugal após a Copa de 2014, Bento assumiu o Cruzeiro no Brasileiro de 2016. Chegou falando em conquistar vaga na Libertadores, mas passou longe do objetivo e acumulou polêmicas. Elogiado por Felipão na época, Bento tinha estilo linha dura e falava o que pensava.

Uma das primeiras do próximo adversário do Brasil foi sobre o fair play num clássico entre Cruzeiro e América-MG pelo Brasileiro. O time azul e branco não devolveu uma bola ao adversário, o que causou a revolta de reservas americanos. A arbitragem precisou interromper o jogo e expulsar Paulo Bento e o técnico do América.

- A única coisa que quero deixar bem claro é que, a partir de agora, por uma questão de filosofia, e iremos comunicar também aos nossos jogadores, e para que todos os nossos adversários possam saber, é que a parir deste momento, a equipe do Cruzeiro não colocará a bola para fora. Se colocar, não pretendemos que depois nos devolvam a bola. É o árbitro quem tem que apitar, analisar e parar o jogo - disse Bento na coletiva pós-jogo.

Na passagem, Paulo Bento tinha a filosofia de modificar sempre a escalação da equipe de um jogo para outro. Uma das críticas era como escalava Willian Bigode. O fato chegou a causa uma discussão com um jornalista numa coletiva de imprensa.

Revolta de atacante

A passagem de Bento já não ia bem no Cruzeiro, quando um outro fato tumultuou ainda mais o ambiente do time mineiro. Após a derrota por 2 a 0 para o Fluminense, o atacante Riascos disse que estava inconformado com a situação e xingou o time mineiro.

- Para mim, não (está tudo bem), não está normal. Não estou feliz com o que está acontecendo. Acho que temos que procurar uma solução. Porque não pode tirar minha felicidade para jogar essa m.. aqui - disse ele na ocasião.

Paulo Bento, juntamente com a diretoria, afastou o atacante. Antes deste episódio, Paulo Bento viveu um dos poucos bons momentos no time mineiro: venceu um clássico com o Atlético-MG por 3 a 2, justamente com um gol de Riascos.

A passagem do agora treinador da Coreia durou pouco mais de dois meses no Brasil. Foram 17 jogos, 15 pelo Brasileirão e dois pela Copa do Brasil, com seis vitórias, três empates e oito derrotas, aproveitamento de 41,17% dos pontos. A contratação deixou uma dívida do Cruzeiro na Fifa.

Se não foi bem no Cruzeiro, Paulo Bento já está na história da Coreia do Sul, levando o país asiático pela terceira vez além da fase de grupos.