Sonhando com a Copa do Mundo, ex-Vasco cogita se naturalizar japonês

Anderson Patric está há três anos no Japão jogando pelo Gamba Osaka. Atacante ainda precisa morar mais dois anos no país e aprender o idioma local

Campeão de praticamente todos os títulos nacionais do Japão nos últimos três anos e considerado um dos melhores jogadores da última temporada no país pelo Gamba Osaka, o brasileiro Anderson Patric ainda tem um sonho: disputar a Copa do Mundo de 2018 na Rússia. Mas se a oportunidade não vier com a camisa da amarelinha, a alternativa será vestir o manto da terra do sol nascente.
O processo de naturalização, no entanto, só pode ser efetivado em 2017. De acordo com a legislação japonesa, é obrigatório morar no país no mínimo cinco anos consecutivos para o atleta se naturalizar.
Outro ponto é que Patric tem que ter domínio da leitura e escrita japonesa equivalente ou superior a de um aluno que cursa a terceira série de uma escola primária do país.
O brasileiro conta que a decisão de querer se naturalizar foi tomada em conjunto com a família. Patric também considerou a cultura do Japão e o carinho que recebe dos torcedores.
Para cumprir as condições, o brasileiro precisa morar mais dois anos no Japão e diz que contratará um professor particular para auxiliar no domínio do idioma local.
- O Japão me acolheu muito bem quando cheguei e hoje tenho um carinho muito grande por eles. Eu e minha família nos impressionamos com a cultura, respeito e carinho dos torcedores e isso facilitou a minha decisão. Ainda tenho que ficar mais dois anos aqui e por isso vou contratar um professor para me ensinar tudo sobre o idioma japonês.
Desde que chegou no Japão em 2014, Anderson Patric conquistou duas Copas do Imperador, Supercopa, J-league e Copa Nabisco. Realizado com a coleção de troféus, o brasileiro mira a Copa do Mundo de 2018. Sobre as chances de jogar na seleção japonesa, o brasileiro mostra confiança.
- [Se tenho chance] acredito que sim. Estou adaptado ao futebol japonês, já sei como eles jogam, então acho que isso facilitaria minha adaptação dentro da seleção, mas principalmente tenho que manter as minhas boas atuações que venho fazendo a cada temporada, pois assim as portas para vestir a camisa da seleção irão abrir, o que seria um sonho realizado - espera Patric.
Anderson Patric iniciou a carreira no Amapá defendendo times como São José e Trem Desportivo Clube. O atacante ainda teve passagem pelo Paysandu, Santa Cruz, Vila Nova, Atlético Goianiense. Mas foi no Vasco da Gama a primeira grande oportunidade do amapaense,  chegando a disputar a Sul-americana e o Brasileirão (2010 e 2011).
Antes de ir para o Gamba Osaka, o jogador atuou no futebol japonês pelo Kawasaki Frontale e Ventforet Kofu, em 2013. Ele retornou para o Brasil no ano seguinte para atuar no Fortaleza, onde passou seis meses antes de voltar para o Japão.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p