Simeone enche a bola de Griezmann e vê Atlético mais forte para a decisão

Técnico diz que atacante está entre os 3 melhores do mundo e que diferenças da final de 2014 podem ser determinantes para título dos colchoneros

Diego Simeone não tem dúvidas, Antoine Griezmann está pronto para liderar o ataque do Atlético de Madrid na final da Liga dos Campeões e o da seleção francesa na Eurocopa. Para o Cholo, o gaulês já atingiu o patamar esperado e está entre os melhores jogadores do mundo. Se em 2015, a ausência de Griezmann da lista dos 23 finalistas da Bola de Ouro causou alguma surpresa ao treinador argentino, este ano Simeone crê que o atacante pode concorrer ao prêmio individual mais cobiçado do futebol.
- Melhorou muito, tem a capacidade de ouvir, aprender, se esforça muito e neste momento está entre os três melhores do mundo - afirmou o treinador do time madrileno durante a entrevista coletiva na jornada dedicada à mídia internacional no CT do clube.
Só que para brigar por esse prêmio, Griezmann não pode falhar no momento decisivo da temporada. No próximo sábado, em Milão, os colchoneros desafiam os rivais do Real Madrid na final da Liga dos Campeões, o evento mais esperado da temporada europeia. Em caso de vitória, será o primeiro troféu para o Atlético, que já passou por grandes decepções em duas finais, a última delas em 2014 justamente contra o Real, quando os merengues levaram o caneco após empatarem no tempo regulamentar graças a um gol nos acréscimos e fazer 3 a 0 na prorrogação. Simeone está convencido de que a história, desta vez, será diferente.
- A situação mudou muito. Em 2014 chegamos a Lisboa com muitos jogadores machucados e cansados, porque tínhamos jogado a "final" do campeonato em Barcelona no fim de semana anterior. Agora é diferente, estamos todos preparados e em boas condições.
O Cholo também vê um Real Madrid da Liga dos Campeões bem diferente daquele do Campeonato Espanhol (segundo classificado). Para o técnico, um jogador brasileiro foi o grande responsável por garantir a estabilidade do time de Zinedine Zidane, que tem agora 50% de chances de vencer a sua 11ª final da taça continental.
- Imagino um adversário semelhante àquele que vimos contra o City. A presença de Casemiro deu muita estabilidade ao meio-campo, e na Champions, o Real Madrid está jogando muito bem no contra-ataque. Eu imagino uma partida como tantas outras que temos tido contra eles. É uma final e acho que os dois times têm 50% de chances de vencer, claro que não há favoritos, frisou o técnico.
Simeone se agarra ao passado italiano
Depois do dia dedicado à mídia nacional e internacional em Madri, Diego Simeone viaja a Milão, ainda neste sábado, para verificar as condições do hotel e do CT que o clube vai usar na cidade italiana. Para o argentino é um regresso às origens, porque foi em Milão, com a camisa do Inter, jogando ao lado de Ronaldo, que o Cholo viveu uma das melhores fases da sua carreira. Zidane, por outro lado, defendeu o grande rival dos nerrazzurri, o Juventus. Motivo mais do que suficiente para que os torcedores do Internazionale de Milão estejam ao lado de Simeone neste duelo. Será uma espécie de final em casa para o treinador que tira vantagem desse detalhe.
- Futebol puro para mim é jogar em Milão. Se há um lugar onde o futebol está representado é na Itália. Sei que os torcedores do Inter estão comigo, tenho grandes recordações daqueles anos, naquele estádio espetacular. Um campo fantástico, com uma grande atmosfera da torcida. Vai ser muito bom jogar em Milão.
No domingo o Atlético de Madrid tem dia de folga e na segunda-feira volta ao C.t. para preparar a decisão do próximo sábado. 

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p